Costa do Marfim aceita sediar Copa Africana de 2023

Decisão foi tomada durante encontro entre o presidente da CAF e o presidente da Costa do Marfim, Alassane Ouattara

Ouattara, presidente da Costa do Marfim, e Ahmad Ahmad, presidente da CAFOuattara, presidente da Costa do Marfim, e Ahmad Ahmad, presidente da CAF - Foto: Sia Kambou/AFP

A Costa do Marfim será o país organizador da Copa Africana de Nações de 2023 (CAN-2023), informou nesta terça-feira uma fonte oficial.

A decisão foi tomada no fim de um encontro entre o presidente da Confederação Africana de Futebol (CAF), Ahmad Ahmad, e o presidente da República da Costa do Marfim, Alassane Ouattara, na presença dos dirigentes da federação do país africano (FIF).

O presidente da CAF confirmou o remanejamento do calendário em nome do princípio da solidariedade e indicou que a Costa do Marfim deverá esperar mais dois anos, até 2023, para sediar a competição.

Em 2014, a CAF havia atribuído as três CANs seguintes de uma só vez: 2019 para Camarões, 2021 para Costa do Marfim e 2023 para Guiné.

Mas a organização da edição de 2019 foi retirada de Camarões, e transferida ao Egito, devido ao atraso nos preparativos.

Leia também:
Marrocos não irá sediar a Copa Africana de Nações 2019
Copa Africana de Nações 2019 será no Egito

Por causa disso, a CAF mexeu no calendário, confiando a edição de 2021 a Camarões, a de 2023 à Costa do Marfim e a de 2025 à Guiné.

Mas a Federação de futebol da Costa do Marfim (FIF) esperava sediar a competição de 2021 e chegou até a apelar ao Tribunal Arbitral do Esporte (TAS) para protestar contra a mudança de datas.

Mas no fim das contas, a FIF decidiu retirar o recurso junto ao TAS.

Veja também

Brasil sofre primeira derrota, mas avança no Mundial de Handebol
Handebol

Brasil sofre primeira derrota, mas avança no Mundial

Juíza acata pedido e Jonatan Gómez tem vínculo encerrado com o Sport
Sport

Juíza acata pedido e Jonatan Gómez tem vínculo encerrado com o Sport