CR7 oferece pagar 14 milhões de euros em acordo com fisco

CR7 se declara culpado das acusações por suposta fraude fiscal, segundo o El Mundo, para encerrar as investigações do caso.

Cristiano Ronaldo trocou o Real pela Juventus na atual temporadaCristiano Ronaldo trocou o Real pela Juventus na atual temporada - Foto: Javier Soriano/AFP

 

O astro português Cristiano Ronaldo ofereceu pagar 14 milhões de euros para a Receita Federal espanhola e se declarar culpado das acusações por suposta fraude fiscal, segundo informações do El Mundo, para encerrar as investigações do caso. 

Leia também:
  
Fisco acusa CR7 de declarar só 4% de patrocínio
Diretora da Receita espanhola pede a prisão de CR7

"Cristiano Ronaldo oferece à Agência Tributária o pagamento de 14 milhões de euros e se declarar culpado dos quatro delitos fiscais de que é acusado", publicou o diário El Mundo.

Perguntada pela AFP, uma fonte próxima do caso confirmou a informação, destacando que existem negociações em andamento ainda sem acordo definido com CR7.

O jornal espanhol afirma que trata-se de uma "proposta formal", encaminhada para "encerrar seu caso com um acordo de conformidade" que evitaria um possível julgamento.

Cinco vezes vencedor da Bola de Ouro, CR7 é investigado por suposta fraude fiscal de 14,7 milhões de euros, relacionados com seus direitos de imagem.

A procuradoria acusa o atacante de utilizar uma estrutura de empresas localizadas na Irlanda e nas Ilha Virgens Britânicas, entre 2011 e 2014, para "ocultar as receitas geradas na Espanha por direitos de imagem, algo que indica o não cumprimento voluntário e consciente de suas obrigações ficais na Espanha". Em julho de 2017, o jogador compareceu a interrogatório e recusou as acusações. 

 

 

Veja também

Conmebol defende Copa América e diz que torneio não foi feito 'às pressas'
Futebol

Conmebol defende Copa América e diz que torneio não foi feito 'às pressas'

Eriksen não teve Covid, nem foi vacinado, diz diretor da Inter de Milão
Futebol

Eriksen não teve Covid, nem foi vacinado, diz diretor da Inter de Milão