Criticado por Caio após fala sobre Bolsonaro, Raí ganha apoio de Casagrande

Dirigente do São Paulo recebeu críticas do comentarista do Grupo Globo por criticar a volta do futebol, proposta pelo presidente Jair Bolsonaro. O comentarista Walter Casagrande, também do mesmo Grupo, apoiou Raí

Raí, diretor-executivo de futebol do São PauloRaí, diretor-executivo de futebol do São Paulo - Foto: Reprodução

O ex-jogador e comentarista Walter Casagrande prestou apoio, nesta sexta-feira (1º), ao diretor-executivo de futebol do São Paulo, o também ex-atleta Raí, que, na véspera, criticou a postura do presidente Jair Bolsonaro frente à pandemia do novo coronavírus.

Na quinta (30), em entrevista ao Globoesporte, o dirigente disse que Bolsonaro atua "no limite da irresponsabilidade" e contraria recomendações da OMS (Organização Mundial de Saúde). Reforçando ser sua opinião pessoal, e não do São Paulo, afirmou ainda torcer pela renúncia do presidente.

Na ocasião, Raí também disse que o clube tricolor é contrário à volta imediata do futebol. No mesmo dia, Bolsonaro defendeu a retomada do calendário esportivo, argumentando que jogadores, por terem boas condições físicas, têm risco pequeno de letalidade caso adoeçam de Covid-19.

"Eu penso exatamente como o Raí. Sou contra a volta do futebol, neste momento. Todos os dias, as mortes aumentam no país. É um absurdo pensar nisso. Já falei diversas vezes sobre esse assunto", escreveu Casagrande em publicação em sua conta no Instagram.

"Numa democracia, todas as pessoas podem e devem expressar suas opiniões sobre qualquer assunto, independentemente da sua profissão. Ninguém pode querer censurar a fala do outro e determinar qual o assunto que se pode falar. Isso, no meu entender, é antidemocrático", seguiu Casagrande, em trecho que vai de encontro à opinião do também ex-jogador e comentarista Caio Ribeiro, de quem é companheiro na TV Globo.

Ainda no dia da entrevista do são-paulino, Caio criticou a fala do dirigente. "Eu não gostei do discurso do Raí. Ele falou muito pouco de esporte e muito sobre política. Por mais que ele diga que é a opinião pessoal dele, hoje ele é o homem forte do São Paulo. E as declarações e opiniões que ele dá respingam na instituição. Então, ele tem que falar de esporte", disse em participação no Seleção SporTV.

Ainda em sua publicação no Instagram, Casagrande citou Sócrates, irmão de Raí, com quem encabeçou a Democracia Corinthiana, movimento político sucedido na década de 80, quando ambos atuavam pelo Corinthians e o país estava sob regime militar.

"Enfim, o Raí representou com orgulho o seu irmão, Sócrates (Magrão) e não tenho dúvidas de que ele falaria as mesmas coisas. Cobra-se muito, das pessoas do futebol, a falta de participação e de opinião. O Raí é um dos poucos que se posicionou. Parabéns, Raí! Você seria um grande companheiro na Democracia Corinthiana. Antes de qualquer polêmica, deveríamos nos unir e ser mais solidários, nesse momento tão crítico pelo qual passa a humanidade", completou Casagrande.

Na entrevista dada no dia anterior, Raí também havia citado o irmão e ex-jogador corintiano, morto em 2011. "Se vocês acharam o meu depoimento forte, imaginem o Sócrates. Inaceitável, indignação. Na natureza dele, iria se colocar – e, obviamente, eu seguiria na mesma linha – e ao estilo do Doutor Sócrates, que, com certeza, teve uma importância gigantesca na história do país."

Veja também

"Vou pensar se saio ou se fico", diz Felipão após livrar Cruzeiro da Série C
Futebol

"Vou pensar se saio ou se fico", diz Felipão após livrar Cruzeiro da Série C

Empresário Josenildo Dody confirma pré-candidatura à presidência do Santa Cruz
Eleições

Empresário Josenildo Dody confirma pré-candidatura à presidência do Santa Cruz