CASO DANIEL ALVES

Daniel Alves alegou que estava bêbado e não se lembra de nada em boate, diz TV

A definição sobre a permanência ou não do brasileiro na prisão foi adiada pela Justiça de Barcelona

Jogador de futebol Daniel AlvesJogador de futebol Daniel Alves - Foto: Reprodução/Instagram

Preso em Barcelona desde 20 de janeiro por suspeita de estupro, Daniel Alves disse para sua mulher, a modelo Joana Sanz, que não se lembra de nada do que aconteceu na boate Sutton. O jogador alegou que estava embriagado na noite em que esteve na casa noturna e teria violentado uma jovem de 23 anos dentro do banheiro da área VIP.

De acordo com a rede de televisão Telecinco, o brasileiro telefonou duas vezes para Joana Sanz antes dela ter ido visitá-lo no presídio. Em ambas ocasiões ele teria afirmado não guardar qualquer recordação da noite de 30 de dezembro do ano passado porque estava bêbado.

A Telecinco também sustenta que Daniel Alves se recusou a encontrar Joana Sanz, em um primeiro momento, porque não queria ser visto "naquelas condições".

Decisão sobre liberdade condicional
A definição sobre a permanência ou não de Daniel Alves na prisão, esperada para esta quinta-feira, foi adiada pela Justiça de Barcelona. Agora a decisão sobre o status do lateral-direito deve ficar para segunda ou terça-feira.

As informações são do jornal espanhol Mundo Deportivo e do jornalista Carlos Quílez, que vem acompanhando o caso de perto. Segundo o diário, a defesa do jogador admitiu pela primeira vez que houve penetração no episódio que levou a denúncia, ocorrido na casa noturna Sutton, no fim do ano passado. Mas ainda sustenta que se tratou de uma relação consensual.

Nesta quinta-feira, a defesa de Daniel, encabeçada pelo advogado Cristóbal Martell, esteve presente em audiência na cidade após entrar com recurso pedindo a liberdade provisória do atleta. A promotoria e a defesa da jovem que acusa o jogador, por outro lado, pedem que ele permaneça preso. Os três membros do tribunal apreciaram o recurso, mas ainda não tomaram uma decisão, que deve ser adiada para a próxima semana.

O Mundo Deportivo dá conta de que a defesa do jogador saiu satisfeita da audiência. Martell tenta garantir aos juristas que não há risco de fuga de Daniel caso seja posto em liberdade, razão pela qual a prisão preventiva foi determinada em janeiro.

Veja também

Conmebol convoca árbitras e assistentes pela primeira vez para Copa América
COPA AMÉRICA

Conmebol convoca árbitras e assistentes pela primeira vez para Copa América

Copa da Inglaterra: 'dupla coroa' para o City ou vaga na Liga Europa para o United
FUTEBOL INTERNACIONAL

Copa da Inglaterra: 'dupla coroa' para o City ou vaga na Liga Europa para o United

Newsletter