Futebol

Defesa x ataque: Sport e Náutico se enfrentam pela final do Estadual

Timbu tem o melhor setor ofensivo da competição, com 26 gols; Leão aposta na força defensiva, com cinco jogos sem ser vazado

Kieza e Adryelson, no Clássico dos ClássicosKieza e Adryelson, no Clássico dos Clássicos - Foto: Tiago Caldas/CNC

O que Náutico e Sport possuem de melhor hoje? Com 26 gols em 10 jogos, a força ofensiva dos alvirrubros é a resposta. Não à toa, o clube tem o artilheiro do torneio, Kieza, com nove tentos. Por outro lado, a solidez defensiva do time rubro-negro impressiona. São cinco jogos sem ser vazado na temporada e apenas quatro tentos sofridos em 10 partidas da competição. Neste domingo , às 16h, na Arena de Pernambuco, o Clássico dos Clássicos de ida da final do Campeonato Pernambucano coloca frente à frente os rivais de armas opostas, na primeira parte do duelo valendo o título estadual.

Depois de iniciar a temporada sendo vazada nos nove primeiros jogos, a defesa do Sport se acertou quando passou a contar com a dupla titular, formada por Adryelson e Iago Maidana. Com os dois, pelo Estadual, já são sete compromissos consecutivos sem ver uma bola na rede leonina. Além deles, Patric e Sander formam a linha defensiva que vem entrosada desde o Brasileiro passado. Outro fator importante foi a entrada de Maílson na meta rubro-negra. Com a lesão de Carlos Eduardo e a má fase de Luan Polli, o prata da casa foi de terceiro goleiro à destaque, desde que assumiu a posição contra o Vitória/PE. 

"Estamos buscando o equilíbrio. Temos conseguido fazer gols, construir possibilidades, e seguimos melhorando defensivamente. Ainda temos que corrigir algumas coberturas. Sabemos que o Náutico é projetado para jogar para frente, uma equipe competitiva, atacantes que se movimentam bem. Precisamos estar organizados para tirar esse conforto deles, que é ter a posse da bola. Eles têm também uma jogada aérea importante, e trabalhamos para neutralizar isso", contou.

O técnico Hélio dos Anjos tem um currículo vencedor, com títulos e acessos. Mas, em suas declarações, o treinador faz questão de deixar claro que o passado não pesa no comportamento atual. Principalmente em se tratando de tabus, como o do Náutico, que não é campeão diante do Sport há mais de 50 anos.

“Futebol não tem passado: é momento. Se ganharmos o título, vamos eliminar essa situação que se criou lá fora. Aqui dentro não há essa pressão. Discutimos objetivos. Título é o que nos alimenta, dá vida ao clube”, afirmou, pregando o que espera ver no Timbu para sair da Arena com uma vantagem na decisão. 

“Não podem faltar duas situações para a gente: competitividade e personalidade. Não há como decidir sem essas duas coisas. Quando se joga um mata-mata, você não pode ter acidentes, resultados fora do contexto. Se ganharmos o primeiro jogo, a expectativa do segundo fica diferente. Mesmo assim, não acho que algo será definido na primeira partida”, ressaltou. A aposta alvirrubra está no setor ofensivo, com um trio que contabiliza 17 gols no Estadual - mesma quantidade que todo o time leonino marcou. Kieza, com nove, é o artilheiro, acompanhado de Vinícius e Erick, ambos com cinco. 

Ficha técnica

Sport
Maílson; Patric, Maidana, Adryelson e Sander; Marcão, Júnior Tavares e Thiago Lopes (Gustavo); Neílton, Toró (Everaldo) e Mikael (Tréllez). Técnico: Umberto Louzer.

Náutico

Alex Alves; Hereda, Camutanga, Wagner Leonardo e Bryan; Rhaldney, Djavan e Jean Carlos; Erick, Vinícius e Kieza. Técnico: Hélio dos Anjos

Estádio: Arena de Pernambuco (São Lourenço/PE)
Horário: 16h
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães (RJ)
Assistentes: Alessandro Matos (BA) e Fabrício Vilarinho (GO)
VAR: Rodrigo Sá (RJ)
Transmissão: TV Globo e Premiere

Veja também

"Erick não quer jogar em outro lugar que não seja o Náutico", disse Hélio
Futebol

"Erick não quer jogar em outro lugar que não seja o Náutico", disse Hélio

Tóquio cancela 'fan-zones' previstas para acompanharem as competições olímpicas
Olimpíadas

Tóquio cancela 'fan-zones' previstas para acompanharem as competições olímpicas