Derrota russa em Copa já causou mortes e caos em Moscou

As cenas de violência ocorreram em 10 de junho de 2002, logo após a derrota da Rússia por 1x0 para o Japão na fase de grupos da Copa

Foram cenas de caos, com carros queimados, vitrines quebradas, mais de cem feridosForam cenas de caos, com carros queimados, vitrines quebradas, mais de cem feridos - Foto: Reprodução/Youtube

Seleção anfitriã da Copa do Mundo, a Rússia já despertou ira e levou a uma série de atos vandalismo de seus torcedores após uma derrota em Mundial. Foram cenas de caos, com carros queimados, vitrines quebradas, mais de cem feridos e duas pessoas mortas em pleno centro de Moscou, na Praça Manej, ao lado da Praça Vermelha e na Rua Tverskaya. Isso aconteceu em 2002 e desde então nenhum tipo de exibição pública de partidas de futebol aconteceu na capital moscovita. Só voltará a ser realizada neste ano por causa da organização da Fan Fest da Fifa, com segurança reforçada.

As cenas de violência ocorreram em 10 de junho de 2002, logo após a derrota da Rússia por 1x0 para o Japão na fase de grupos. Uma vitória teria classificado a equipe para as oitavas de final do Mundial. O revés levou a jogo decisivo contra a Bélgica, no qual os russos foram derrotados por 3x2.

O evento público reuniu cerca de 8 mil pessoas e havia venda de bebida alcoólica liberada nas redondezas. Ao apito final, começaram as cenas de vandalismo, com o incêndio de carros. Depois, os vândalos descontrolados quebraram todos os vidros de um restaurante japonês que estava cheio por ser próximo da hora do almoço. Vitrines de lojas de luxo também foram alvos. Placas de rua, parquímetros e outros tipos de objetos foram usados como armas. Até a Prefeitura de Moscou foi alvo de ataques diante de uma presença policial que era inferior ao tamanho da massa enfurecida.

Leia também:
Segundo relatório, Alemanha é favorita pra vencer a Copa
Fifa discutirá Copa com 48 seleções já no Qatar

De acordo com relatos da época, cinco japoneses estudantes de música foram alvejados, mas apenas um sofreu ferimentos leves. O total de policias feridos foi 11 e um acabou morto dias depois por causa das lesões provocadas pelos vândalos. Uma outra pessoa acabou morta a facadas no local. Os canais de televisão da Rússia classificaram como o dia mais violento desde a crise constitucional da Rússia de 1993, um período de uma semana que acabou com 187 mortos e 437 feridos.

"Em qualquer lugar do mundo onde fãs estão em massa e confusão pode ocorrer, policiais devem estar preparados. Mas os organizadores deste evento foram irresponsáveis", disse na época o deputado liberal Serguei Mitrokhin. O reforço policial chegou apenas uma hora após o início da confusão. Bombeiros tiveram de ser acionados para controlar o fogo.

O hooliganismo é uma das preocupações na Rússia durante a Copa do Mundo, mas as autoridades e o COL (Comitê Organizador Local) prometem um fortíssimo esquema de segurança não apenas nos estádios, mas em toda cidade.

Veja também

Superliga europeia fica ameaçada de ruir dois dias após ser criada
Futebol Internacional

Superliga europeia fica ameaçada de ruir dois dias após ser criada

Superliga é criticada por 14 clubes da primeira divisão inglesa
Futebol Internacional

Superliga é criticada por 14 clubes da primeira divisão inglesa