Esportes

Diante da torcida, Uninassau/Cabo bate Ituano Basquete

Time pernambucano passou por cima das rivais com o placar de 77x66, e agora ocupa a 6°posição na LBF

Uninassau bateu o Ituano e assumiu a sexta colocaçãoUninassau bateu o Ituano e assumiu a sexta colocação - Foto: Robson Neves

Após ficar14 dias sem atuar, a Uninassau/Cabo de Santo Agostinho bateu o Ituano Basquete nesta sexta-feira, no Sesc Santo Amaro, Recife, por 77x66. Em partida válida pela segunda rodada do returno, a equipe pernambucana cruzou os quatro cantos do ginásio com uma postura diferenciada do que vinha sendo apresentada em outros jogos. Com a ausência da ala-pivô norte-americana Ronni Williams, o técnico Roberto Dornelas achou uma substituta à altura, Brittany Starling, também dos Estados Unidos. A ala-pivô chegou ao Recife na última segunda-feira, mostrando que chegou para se firmar no time.

A partida começou balanceada, com Starling marcando seis pontos para a Uninassau/Cabo de Santo Agostinho. O time do Ituano não saiu por baixo, e diminuiu a vantagem das pernambucanas para três pontos, com Luana, um dos destaques do time paulista. A ala foi a jogadora que mais pontuou pelo lado do Ituano, com 13 pontos. A pivô Mônica Nascimento, outro destaque de Itu, acabou como líder em rebotes pelo time paulista. Foram 10 ao todo, enquanto Joice ofereceu cinco assistências durante os quatro períodos.

Leia também:
Pivô Érika de Souza acerta com a Uninassau para a LBF
Uninassau fecha patrocínio com Prefeitura do Cabo de Santo Agostinho

Ambas as equipes se prevaleceram dos contra-ataques. Por meio de jogadas bem trabalhadas, Ineidis Casanova, Starling e Isabela Ramona conseguiram se infiltrar na defesa paulista e fechar o primeiro período em 24x18 para as donas da casa.

Eleita a MVP da partida, Ramona foi a que mais pontuou no jogo, com o feito de 26 pontos e 58% de eficiência. A norte-americana Starling saiu com saldo de 15 rebotes, e Casanova foi a mais efetiva em números de assistência, seis. Do lado oposto, ainda no primeiro quarto, a ala-pivô Gabriela se machucou e não retornou mais ao jogo. A Uninassau/Cabo de Santo Agostinho permaneceu em vantagem no intervalo, 44x31.

As equipes retornaram para o segundo tempo com um jogo mais estratégico e menos corrido. No terceiro quarto, o Ituano tentou diminuir a vantagem das pernambucanas, agredindo mais e tentando bloquear o ataque das adversárias. Mas graças ao trabalho coletivo da Uninassau, a equipe do interior de São Paulo falhou. O desfecho foi repetido durante grande parte do quarto período. Nos quatro minutos finais, a partida voltou a ter a mesma emoção do início. O Ituano Basquete chegou a ficar a um ponto de diferença da Uninassau/Cabo de Agostinho. Com uma bola de três, a armadora Thaissa tranquilizou a torcida, que a cada ataque do Galo entoava gritos de "defesa". O apoio surtiu efeito, e o time da casa aproveitou para fechar o placar em 77x66.

Antônio Carlos Barbosa, treinador da equipe paulista, saiu insatisfeito do ginásio, e culpou o individual pelos erros na partida. "São ações muito rápidas, diferentes umas das outras. Então, se a jogadora não estiver atenta na tomada de decisões corretas, o time fica sem ação", lamenta.

Por outro lado, Ramona comemorou a boa partida da equipe do Uninassau/Cabo. "O fato de eu ter ganho o MVP é resultado do trabalho de toda a equipe. O time jogou junto. A gente está numa construção e no caminho certo, melhorando a cada jogo. Isso que é o importante. É sempre uma pela outra. Agora a tendência é só melhorar", enfatizou.

Após o longo período longe das quadras, a Uninassau/Cabo de Santo Agostinho encara agora uma maratona de jogos. O próximo desafio do time pernambucano será neste domimgo, às 11h, contra o Pró-Esporte/Sorocaba, no Sesc Santo Amaro, válido pela terceira rodada do returno da LBF.

Street Dog
O secretário de Esporte e Turismo do Cabo de Santo Agostinho, Paulo Moushe, marcou presença na partida, e disse estar satisfeito com a equipe pernambucana. "É uma alegria estar aqui. É uma experiência nova. Trouxemos alguns jovens, como forma de incentivo, para montarmos escolinhas de basquete no Cabo", declarou.

Os jovens, com idades entre 13 e 22 anos, fazem parte do projeto Street Dog Basquete Ball, do Cabo. Idealizado por Rosana Gomes da Silva, o Street Dog surge com a intenção de encorajar jovens apaixonados pelo esporte. "Esses meninos amam basquete. Então, o jogo está sendo uma experiência maravilhosa", relatou. O Street Dog acolhe 43 jovens do Cabo de Santo Agostinho.

Veja também

Liga das Nações de Vôlei: Cuba vence Brasil no Maracanãzinho e azeda reestreia de Bernardinho
Vôlei

Liga das Nações de Vôlei: Cuba vence Brasil no Maracanãzinho e azeda reestreia de Bernardinho

Com setores inferiores esgotados, CBF abre novo lote para amistoso da Seleção Brasileira no Recife
FUTEBOL FEMININO

Com setores inferiores esgotados, CBF abre novo lote para amistoso da Seleção Brasileira no Recife

Newsletter