Diógenes garante Márcio Goiano até fim da Série C

Dirigente elogiou o treinador, rebateu críticas, revelou ameaças sofridas e pediu mais confiança da torcida

Dirigente elogiou trabalho de Márcio GoianoDirigente elogiou trabalho de Márcio Goiano - Foto: Léo Lemos/Náutico/Divulgação

Um desabafo. Para quem estava criticando a gestão, para os que pediam a saída de Márcio Goiano e que questionavam a montagem do elenco. Endereçado aos alvirrubros mais desconfiados, como também para os mais esperançosos. No caso desses últimos, palavras de agradecimento e mensagem de confiança para o futuro. Logo após o empate em 1x1 com o Imperatriz/MA, no Frei Epifânio, que garantiu vaga na próxima fase da Copa do Brasil, o vice-presidente do Náutico, Diógenes Braga, revelou o período de pressão vivido por ele e pelo Timbu nos últimos dias - com direito até à ameaça de violência. Em tom crítico, pediu apoio dos torcedores e garantiu que o planejamento para 2019 será mantido, reafirmando que manterá o treinador até o fim da Série C.

"Quero pedir ao torcedor que entenda nossas dificuldades. Pelo bom ano que tivemos em 2018, a expectativa era alta para 2019. Nosso planejamento inicial tinha como alvo o jogo contra o Imperatriz. Sei que estavam pedindo algumas contratações, substituições no time, mas se não tivéssemos mantido a base, nós teríamos tido ainda mais dificuldades. É complicado contratar, angariar recursos", disse. "Aos que nos apoiaram meu muito obrigado. Agradeço muito aos associados. Graças a eles é que pagamos os vencimentos de atletas e funcionários. Essa partida foi apenas uma das várias batalhas que teremos", completou.

O dirigente também rebateu críticas quanto ao futebol do time no início da temporada, citando que recebeu ameaças nos últimos dias por conta da irregularidade do clube nos primeiros compromissos de 2019. "Não adianta o torcedor querer que a gente vença somente no aspecto técnico. Isso é para Barcelona, Manchester City...aqui será batalha. Depois de alguns jogos, eu recebi mensagens me ameaçando (fisicamente). Quando vejo isso, eu fico triste. A maldade acaba chamando mais atenção. Parte da torcida não entende nossa limitação financeira. Não tínhamos como iniciar o ano da forma que terminamos 2018. Individualmente cada atleta tem sua personalidade, mas coletivamente isso ainda está sendo formado. Tantas vezes tivemos problemas porque demos um passo maior que as pernas. É muito ruim ver jogador de cabeça baixa por conta de salário atrasado. Não queremos isso. Nossa gestão é de austeridade", indicou, cravando a permanência Márcio Goiano no clube até o final da Série C.

"Futebol não pode ser isso de tirar técnico depois de um resultado ruim. Márcio goiano será o treinador que vai colocar o Náutico na Série B. Se for para segurar pressão, vamos segurar. Falei com todas da imprensa durante essa fase complicada. Quando o momento for bom, eu vou sair de cena. Diretoria precisa aparecer nos momentos complicados. Não posso apenas contratar para agradar torcida. Ouvi muitos da Imprensa colocando descrédito no futebol pernambucano. Torço para que todos passem porque se não lutarmos pelo nosso futebol, nós não vamos chegar em lugar algum. Na hora da dificuldade, é preciso acreditar na força do nosso futebol. Quando as coisas não acontecem, a culpa não é só do time, mas de quem também não dá força para nosso futebol evoluir", sentenciou.


Leia também:
Náutico segura empate e avança na Copa do Brasil
Copa do Brasil, uma competição fundamental para o Santa Cruz

 

Veja também

"Vou pensar se saio ou se fico", diz Felipão após livrar Cruzeiro da Série C
Futebol

"Vou pensar se saio ou se fico", diz Felipão após livrar Cruzeiro da Série C

Empresário Josenildo Dody confirma pré-candidatura à presidência do Santa Cruz
Eleições

Empresário Josenildo Dody confirma pré-candidatura à presidência do Santa Cruz