Futebol

Diretoria explica mudanças no elenco e admite erros no planejamento

Presidente do clube, Edno Melo, e vice, Diógenes Braga, concederam entrevista virtual para explicar processo de reformulação de olho em recuperação na Série B

Edno Melo (E) e Diógenes Braga (D)Edno Melo (E) e Diógenes Braga (D) - Foto: Henrique Genecy/Folha de Pernambuco

Cinco jogos sem marcar gols. Seis sem vitórias. Jogadores saindo. Outros chegando. Gerente de futebol (Ítalo Rodrigues) demitido e processo de "otimização" no grupo para se recuperar na Série B do Campeonato Brasileiro. Em meio ao cenário de mudanças no Náutico, o presidente do clube, Edno Melo, e o vice de futebol, Diógenes, concederam entrevista virtual para explicar as modificações no planejamento alvirrubro para a sequência da temporada. Os dirigentes fizeram uma autocrítica, admitiram erros, mas demonstraram otimismo em uma evolução no torneio, mantendo vivo o sonho do acesso à Série A. Confira abaixo os trechos da coletiva.

Reformulação

Diógenes - Até pelo orçamento, nós temos um elenco enxuto. Fora as lesões, tivemos perdas por conta da Covid-19 e a necessidade que a gente vem tendo é de mais peças de reposição. Nossa premissa é sermos rigorosos com o orçamento e, para poder fazer investimento no elenco, era necessário abrir a folha (de pagamento). Foram feitas avaliações de custo-benefício, utilização, características e foi necessário abrir mão de alguns jogadores para fazer os investimentos.

Edno - O planejamento é sempre revisto. Sempre existirão erros e acertos. A mudança foi discutida, partiu de maneira conjunta para sairmos desse momento. Não queremos gerar passivo trabalhista. Queremos diminuí-los. Temos cuidado para que as demissões sejam feitas de forma segura. O sucesso da gestão é justamente a maneira de tomar as decisões, sempre de forma colegiada com Diógenes. Estamos há mais de três anos pagando em dia, pela responsabilidade e rigor no orçamento. Quando a torcida pega no pé porque traz um jogador de quatro, dez mil reais é porque não podemos trazer um de 100 mil. Se não existisse esse rigor, não existiria a austeridade.

Autocrítica e motivos da saída de atletas

Diógenes - Futebol é feito de acertos e erros e temos que caminhar. Em relação a esses atletas que saíram, remanescentes da Série C (Josa, Fernando Lombardi e Salatiel), nós entendemos que precisávamos abrir mão. Mas Jefferson também subiu, Camutanga também e Jean Carlos também. No futebol, se fala muito em manter uma base do elenco porque construir do zero é mais difícil. Buscar essa manutenção ajuda no trabalho. É mais fácil corrigir erros pontuais do que refazer um processo inteiro. Se a gente abre mão de três quatro peças já é um avanço, porque poderíamos abrir mão de 15 e 20, o que não é o caso. Estamos fazendo uma otimização do elenco. Somos rigorosos quanto ao orçamento. Os erros acontecem e admitir isso também faz parte. A tomada de decisão é admissão de um erro e da necessidade de troca.

Reposição da vaga de gerente de futebol

Diógenes - Vamos repor a vaga de gerente de futebol. Na nossa visão, ela é fundamental porque tem o papel de gerir todo um departamento. A busca iniciará após o jogo contra o Oeste. No futebol, tem duas coisas que podem coexistir, mas não são misturadas. Eu sou muito amigo de Roberto (Fernandes), mas efetivei a demissão dele (em 2018). Márcio (Goiano) também tinha uma relação de amizade, assim como Gilmar (Dal Pozzo). As amizades continuam. A bola passa, a amizade fica. É normal. Ítalo fez um grande trabalho no clube. Tem uma carreira elogiável. Entrou como estagiário, chegou a ser gandula e teve o cargo mais alto do clube, na gerência de futebol. Ele abriu muito mercado e terá grandes oportunidades. Está apenas no início da carreira. Fará trabalhos de muito sucesso como foi aqui, nos títulos de 2018 e 2019. Mas chegamos ao entendimento que era necessário renovar o ciclo. O Náutico seguirá seu rumo e ele também.

Carências no elenco

Diógenes - Temos necessidade grande de um segundo volante. Os jogos que não tivemos Jhonnatan, nós sofremos muito. A fase que passamos de resultados ruins esteve ligada a isso, com a suspensão de atletas como Rhaldney, Jhonnatan e Jorge. Eles são fundamentais na construção do jogo. Se a gente usar o jogo do Paraná, nós fizemos um bom jogo porque Dudu fez bem a função de Jhonnatan. Mas ele não conseguiu jogar o jogo do América/MG. Também vamos trazer um zagueiro após a saída de Lombardi. O jogo de Kleina é muito de construção e buscamos um defensor com essa característica de iniciar o jogo. Depende também de situações orçamentárias. Seria bom trazer mais atletas porque nosso elenco é enxuto, mas vamos manter o rigor do orçamento.

Receita curta e confiança no acesso

Edno - A situação do Náutico é crítica. Vivemos todos os dias com leilões, contas bloqueadas. Entramos para fazer diferente nesse sentido. Quantos jogadores não poderíamos contratar com o valor que foi pago a Olivera (ex-jogador do clube) ou Milton Cruz (ex-treinador)? Você ter a receita curta e o compromisso de não gerar mais passivos, e ainda cumprir com obrigações criadas pelo clube em gestões passadas encurta muito o orçamento. Sentimos na pele isso. Mas isso (acesso) é uma coisa totalmente plausível. A gente vai em busca dele.

Veja também

São Paulo goleia o Taboão por 29x0 pelo Paulista feminino
Futebol feminino

São Paulo goleia o Taboão por 29x0 pelo Paulista feminino

Na Ressacada, Sport empata com Avaí no primeiro jogo das oitavas
Copa do Brasil sub-20

Na Ressacada, Sport empata com Avaí no primeiro jogo das oitavas