Diretoria garante permanência de Dado

Treinador esteve reunido com dirigentes do clube na manhã desta segunda (13)

Dado acumula três derrotas em seis jogos pelo clubeDado acumula três derrotas em seis jogos pelo clube - Foto: Flávio Japa/Folha de Pernambuco

Na reapresentação do Náutico após a derrota por 2x0 para o Campinense, no Amigão, pela Copa do Nordeste, os únicos atletas que estiveram no gramado foram os reservas e o goleiro Tiago Cardoso. Os demais realizaram apenas um trabalho regenerativo na academia do clube. Até aí, tudo normal, como seguia a programação do clube. O que fugiu do padrão foi a ausência do técnico Dado Cavalcanti no campo. O profissional ficou a manhã inteira reunido com a diretoria do clube no hotel do CT Wilson Campos. Depois de muita conversa, os dirigentes concederam entrevista coletiva. Do encontro, esperavam-se apenas duas afirmações: uma comunicando a demissão do treinador ou outra apontando que o clube seguiria com Dado. A última é que prevaleceu.

“Tivemos uma reunião com Dado, como sempre temos depois dos jogos. Uma avaliação para expor nossos pensamentos e debater com a comissão. Em seis rodadas, temos duas vitórias, um empate e três derrotas. Não era o começo que a gente imaginava, mas precisamos acreditar no nosso trabalho. Sabemos que existem erros, e vamos buscar uma melhora. Todos sabem da responsabilidade no Náutico, na busca de títulos e acesso. Sabemos que a pressão existe e quem se incomoda com ela não pode jogar aqui”, afirmou o diretor de futebol, Eduardo Henriques.

Nesta quarta (15), o Náutico encara o Guarany de Juazeiro, no Romeirão, pela Copa do Brasil. Com a mudança no regulamento da competição, o mata-mata terá um jogo único, com o Timbu tendo a vantagem do empate. Duelo considerado crucial não só no aspecto econômico (o vencedor fatura R$ 315 mil), como também para melhorar o ambiente do clube e diminuir a pressão em cima do técnico e do elenco.

“Dado e os atletas estão cientes da importância do jogo de quarta. A mudança no regulamento tornou tudo mais difícil. Você só joga um jogo na casa do adversário. Muito clube grande teve dificuldade e sabemos que com a gente não será diferente. É uma decisão. Não contamos com derrota, mas sim com a classificação”, citou. 

Caso Maylson

Após a derrota por 2x0 para o Campinense, pelo Nordestão, o meia Maylson, que foi substituído no decorrer do jogo por Jefferson Renan, deu uma entrevista à Rádio Jornal. Chateado, o atleta deu a entender que profissionais do clube estariam descontentes com seu futebol.

“Quero mandar um recado para as pessoas da comissão (técnica): se elas não estão gostando do meu trabalho, podem me mandar embora", disse o jogador. Questionado sobre o desabafo, o técnico Dado Cavalcanti minimizou e preferiu não comentar de forma abrangente o assunto. "Não tem como fazer julgamento, nem avaliações. Sei que depois de um jogo como esse, a cabeça fica meio quente e você pode sair um pouco de si. Mas não vi (entrevista) e não tenho como comentar”, limitou-se.

Sobre o assunto, Henriques indicou que o clube deve tomar um posicionamento ainda nesta segunda (13). “O elenco está bem focado, fechado com o objetivo que traçamos no início do ano. Não tem problema de falta de comando ou relacionamento. A declaração de Maylson foi isolada. Vamos conversar com a comissão sobre isso”, declarou.

Veja também

Staff de Hernanes admite sondagem do Sport
Futebol

Staff de Hernanes admite sondagem do Sport

Após sétimo dia dos Jogos Olímpicos, confira a colocação do Brasil no ranking de medalhas
Jogos Olímpicos

Após sétimo dia dos Jogos Olímpicos, confira a colocação do Brasil no ranking de medalhas