Esportes

Dirigente alvirrubro critica arbitragem, mas nega representação formal junto à FPF

Eduardo Henriques mostrou descontentamento com alguns lances marcados por Péricles Bassols

Jaime e Dudu foram expulsos após confusãoJaime e Dudu foram expulsos após confusão - Foto: Flávio Japa

O árbitro Péricles Bassols deixou o gramado da Arena de Pernambuco, após o Clássico das Emoções entre Náutico e Santa Cruz, com a desaprovação de ambos os clubes. As duas expulsões, os critérios na hora das cobranças de falta e a marcação (ou não) em lances polêmicos foram fatores que irritaram tricolores e alvirrubros na estreia do Hexagonal do Título do Campeonato Pernambucano. Pelo lado do Timbu, quem não poupou críticas ao homem do apito foi Eduardo Henriques, diretor de futebol.

"Começamos o Campeonato Pernambucano com uma péssima arbitragem que deixou os dois lados insatisfeitos. Lembra o que gerou a expulsão? O camisa 9 do Santa (André Luís) deu um tapa sem a bola em Dudu. O nosso jogador reagiu de uma forma que não deveria, mas aquele já tinha sido o segundo tapa de André no jogo. Foi um escândalo. Se ele fosse expulso, mudaria completamente a filosofia da partida. O lance da falta que originou o gol do Santa também não existiu. Sem falar que o árbitro passou o jogo todo com um critério de que a falta só deveria ser batida no lugar. Tentávamos acelerar, mas ele mandava voltar. No lance do gol, o Santa Cruz fez isso e ele não falou nada. Bateram com pelo menos 15 metros de distância", reclamou Henriques.

O dirigente afirmou que o clube vai se reunir com a Federação Pernambucana de Futebol (FPF) para mostrar os lances, mas negou a intenção de fazer uma representação formal contra arbitragem.

"Estamos separando os lances para levar à Federação. Teve um, por exemplo, em que o Anselmo leva um 'rapa' de Elicarlos e o juiz manda seguir. Eli já tinha amarelo. Eu não quero começar o Pernambucano movendo uma ação contra a arbitragem. Vamos conversar com a FPF, manter um diálogo para evitar que isso volte a se repetir", ressaltou.

Ingressos

Eduardo Henriques também comentou a crítica feito pelo vice-presidente do Santa Cruz, Constantino Júnior, com relação ao preço dos ingressos no Clássico das Emoções. O dirigente coral ficou inconformado ao saber que a torcida do Náutico podia pagar um valor promocional, enquanto os tricolores só teriam direito aos bilhetes que custavam R$ 50.

"Acho normal fazer promoção para o meu torcedor. O Santa Cruz não pagou R$ 50 em todos os ingressos. Eles também tinham meia-entrada. Estou tentando ver quantos torcedores pagaram o preço de R$ 25. Sem falar que já jogamos no Arruda e eles também fizeram uma promoção para que o torcedor deles pagasse um valor menor", frisou o diretor alvirrubro.

Veja também

"Não sabia em quais condições ia voltar", admite Serena Williams antes de Wimbledon
Tênis

"Não sabia em quais condições ia voltar", admite Serena Williams antes de Wimbledon

Sport recebe Brusque em busca de retornar ao G4
Futebol

Sport recebe Brusque em busca de retornar ao G4