Dirigentes conversam com CBF para volta gradual do futebol

O consenso entre executivos e cartolas é que essa questão só poderá ser colocada em prática quando o avanço do coronavírus for contido no Brasil

CBF terá nova reunião com clubes das Séries A e B para discutir possível retorno do futebolCBF terá nova reunião com clubes das Séries A e B para discutir possível retorno do futebol - Foto: Lucas Figueiredo/CBF

Dirigentes dos 40 clubes das Séries A e B do Campeonato Brasileiro vão se reunir por teleconferência com a CBF nesta terça (7). A pauta oficial da conversa é a negociação de direitos internacionais. Mas há outro assunto que será conversado, segundo apurou a reportagem.

Os clubes querem começar a planejar um protocolo para a volta gradual do futebol, interrompido em todo o país no mês passado por causa da pandemia do coronavírus. Executivos e cartolas disseram à reportagem que há uma série de ideias colocadas sobre a mesa para serem debatidas. Mas datas, não. O consenso é que isso só poderá ser colocado em prática quando o avanço do vírus for contido no Brasil. Mesmo assim, ninguém quer que os estaduais sejam abandonados.

Segundo as pessoas ouvidas, estaduais e torneios regionais são competições ideais para a volta gradual do futebol. Com portões fechados e com transmissão de emissoras de TV. Há ansiedade pelo retorno por causa das rendas dos pequenos e do dinheiro de televisionamento dos grandes. Em São Paulo, por exemplo, a Globo não pagou a última parcela dos direitos de transmissão do Campeonato Paulista.

Foram apresentadas propostas para a continuidade das competições nos estados, que serviriam para facilitar a retomada das partidas e para minimizar a possibilidade de espalhar o vírus. Uma delas é a realização dos jogos com os portões fechados. Com os jogadores no mesmo local, testes seriam feitos para saber se algum deles está infectado. O mesmo poderia ocorrer com a arbitragem e integrantes da imprensa.

Leia também:
CBF auxiliará séries C e D, e pernambucanos serão beneficiados
CBF antecipa taxas para ajudar quase 500 árbitros durante pandemia
Clubes definem férias, mas negociação salarial fica sem acordo

Como os jogos serão dentro do mesmo estado, não haveria necessidade de viagens de avião. A depender da distância, as equipes poderiam abolir a concentração e fazer com que os atletas se desloquem até o local da partida em seus carros próprios. A ideia tem contratempos óbvios. É possível manter os atletas distantes, menos na hora do jogo, em que eles teriam contato físico inevitável.

O cerne da proposta é que o futebol volte primeiro nos estados para ganhar tempo antes do Brasileiro, em que os voos serão necessários. A preocupação maior é com os torneios continentais como a Libertadores, já que as realidades dos países são diferentes e o tempo para se livrar do vírus poderá variar de forma significativa.

A reunião por vídeo vai acontecer um dia após a CBF anunciar apoio financeiro para as equipes das Séries C e D do Campeonato Brasileiro e para as duas divisões do torneio feminino. A entidade estima que vai destinar R$ 19 milhões para as agremiações. Cada clube receberá o equivalente a duas vezes a folha salarial média dos atletas de sua divisão.

Cada time da Série C terá direito a R$ 200 mil e os da D, a R$ 120 mil, mesmo valor da elite do futebol feminino. Os times da Série A2 do futebol feminino receberão R$ 50 mil cada. As federações estaduais terão depósito de R$ 120 mil cada uma.

Veja também

Bruno Schmidt e Evandro são eliminados para dupla da Letônia
Jogos Olímpicos

Bruno Schmidt e Evandro são eliminados para dupla da Letônia

Isaquias Queiroz e Jacky Godmann vão às semifinais do C2 1000m
Jogos Olímpicos

Isaquias Queiroz e Jacky Godmann vão às semifinais do C2 1000m