Do início ao fim da década: retorno à elite move Timbu

Anseio dos alvirrubros é encerrar período da mesma forma que concluiu seu começo, com uma vaga na Série A

Após celebrar acesso, alvirrubros sonham com volta à eliteApós celebrar acesso, alvirrubros sonham com volta à elite - Foto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco

Em 2020, o Náutico fechará uma década - considerando as contas do calendário gregoriano - conturbada, de altos e baixos. De acessos e quedas. Jejuns e conquistas inéditas. Desorganização política e reestruturação, com base na austeridade financeira. Muitas voltas dadas, mas, assim como em 2011, no início do recorte analisado, o objetivo é o mesmo: o acesso à Série A do Campeonato Brasileiro.

Leia também:
Sem constar no currículo, Matheus Carvalho projeta título da Copa do Nordeste

Os dois anos que abriram a década foram bem proveitosos no cenário nacional para o Náutico. No Estadual de 2011, o clube precisou do apoio do rival Santa Cruz para evitar que o Sport igualasse o feito do hexacampeonato dos alvirrubros. Porém, na Série B, o Timbu soube caminhar bem com as próprias pernas e conseguiu o acesso à Série A, com o vice-campeonato. No ano seguinte, comemoração triplicada: manutenção na elite, vaga na Sul-Americana e, de quebra, a oportunidade de fechar o caixão na queda do Leão à Segundona, vencendo o rival nos Aflitos por 1x0, na última rodada.

Quis o destino que em 2013, temporada de maior orçamento da história do Náutico, ultrapassando os R$ 40 milhões, o clube fizesse sua pior campanha na Série A, sendo rebaixado para a Segundona. O Timbu ainda foi eliminado na fase inicial da competição continental para o Sport, nos pênaltis. Os anos seguintes foram marcados pela permanência do jejum de títulos estaduais, três tentativas frustradas de acesso ao Brasileirão (2014, 2015 e 2016) e, em 2017, o calvário, com a queda à Série C.

A reestruturação do Náutico começou a partir de 2018, com a entrada de uma nova gestão. Os salários atrasados e o racha político que tanto tumultuavam o ambiente foram substituídos por uma administração focada na austeridade financeira. No ano passado, o Timbu faturou o título do Pernambucano, acabando com um jejum que perdurava desde 2004. Neste ano, a coroação foi com o acesso à Série B e a taça da terceira divisão, a primeira conquista nacional da instituição. Encerrar a década da mesma forma que concluiu seu início, com uma vaga na Série A, é o anseio dos alvirrubros.

Amistosos

O início de 2020 do Náutico começará com dois amistosos contra o Treze/PB. O primeiro no dia 8 de janeiro, no estádio Presidente Vargas, em Campina Grande. O segundo será no dia 12, nos Aflitos. O primeiro compromisso oficial da temporada será dia 19, contra o Sport, também no Eládio de Barros Carvalho, na estreia do Campeonato Pernambucano.

Veja também

Algoz de Vasco e Bahia, Defensa y Justicia conquista Copa Sul-Americana
Futebol

Algoz de Vasco e Bahia, Defensa y Justicia conquista Copa Sul-Americana

Confira a vitória do Flamengo sobre o São Paulo por 79 a 71 na final da Copa Super 8
Basquete

Confira a vitória do Flamengo sobre o São Paulo por 79 a 71 na final da Copa Super 8