Duelos na Europa, este fim de semana, para agitar topo da tabela

Momento oportuno também para ver em ação dois nomes conhecidos do futebol, o colombiano Radamel Falcao e o italiano Mario Balotelli. Mas não é só na França que a chapa promete esquentar.

Campeonato Francês volta a ter embate de líderes, desta vez com Monaco e Nice.Campeonato Francês volta a ter embate de líderes, desta vez com Monaco e Nice. - Foto: Valery Hacae/afp

Os amantes da bola têm cinco ótimos motivos para não sair da frente da telinha nesse fim de semana. Aperitivos proporcionados por confrontos que vão movimentar o topo da tabela das principais ligas do Velho Continente, onde se concentram as maiores estrelas. Um deles, pela 23ª rodada do Campeonato Francês, chama ainda mais atenção pelo fato de opor líder (Monaco) e vice-líder (Nice), empatados em números de pontos (49). Momento oportuno também para ver em ação dois nomes conhecidos do futebol, o colombiano Radamel Falcao e o italiano Mario Balotelli. Mas não é só na França que a chapa promete esquentar.

Na Terra da Rainha, Chelsea (1º) e Arsenal (3º) protagonizam o maior clássico e londrino e um dos principais da Inglaterra. Com 56 pontos - a nove do vice Tottenham -, os Azuis caminham a passos largos para conquistar mais uma Premier League.

Os Gunners, com 47, ainda lutam para derramar água no futuro chopp do rival. Cenário semelhante acontece na Itália, palco do clássico Juventus (1º) x Internazionale (4º), e em Portugual, onde o Porto (2º) recebe o Sporting (3º), ambos imbuídos na missão de buscar tomar a ponta da tabela, hoje com o Benfica. Por fim, Borussia Dortmund (4º) x RB Leipzig (2º) fazem outro embate interessante, todos de olho no Bayern.

 

Veja também

Santa volta a jogar mal, perde para o Cianorte/PR e é eliminado da Copa do Brasil
Copa do Brasil

Santa volta a jogar mal, perde para o Cianorte/PR e é eliminado da Copa do Brasil

Sem jogar, Pia valoriza treinos, mas vê próxima data Fifa como crucial
Futebol Feminino

Sem jogar, Pia valoriza treinos, mas vê próxima data Fifa como crucial