A-A+

Econômico, ataque alvirrubro revive Série C 2018

Náutico tem mesmo número de gols marcados em relação aos primeiros cinco jogos da edição passada, mas G4 é alento

Recuperado, Jorge Henrique pode ajudar Timbu a melhor estatísticaRecuperado, Jorge Henrique pode ajudar Timbu a melhor estatística - Foto: Léo Lemos/Náutico

Avaliando as cinco primeiras rodadas da Série C 2019, é notório que o início de competição do Náutico é superior ao produzido na edição anterior. Nos primeiros 15 pontos disputados, o Timbu ganhou sete, ocupando a quarta posição do Grupo A. Bem diferente de 2018. Com a mesma quantidade de confrontos, a equipe estava na época na nona colocação, com apenas quatro pontos. Do clube que hoje está no G4 ao que, um ano antes, estava na zona de rebaixamento, há, contudo, um dado em comum. Nos cinco jogos disputados, tanto os alvirrubros do presente como do passado marcaram seis gols. Uma semelhança sem motivos de comemoração.

Dos quatro times que estão no G4 da Grupo A, o Náutico tem o pior ataque. O Sampaio Corrêa, líder da chave, já marcou 10 gols. Ferroviário (2º) e Botafogo/PB (3º) têm sete cada. Os alvirrubros ainda possuem uma quantidade menor de bolas na rede em comparação com Imperatriz (7º colocado, com sete gols) e Santa Cruz (6º, com oito).

Leia também:
Mantendo titulares, Dal Pozzo cita ‘herança boa’ deixada por Goiano
No Náutico, Odilávio tem lesão e chance de cirurgia preocupa

Nas cinco rodadas da Série C, o Náutico passou em branco em duas, nas derrotas por 2x0 para o ABC, no Frasqueirão, e por 1x0 diante do Ferroviário/CE, nos Aflitos. O time balançou as redes contra Imperatriz, Treze e Confiança. Contra os maranheneses, a vitória foi por 4x2, em casa, com tentos de Wallace Pernambucano (2), André Krobel e Jiménez. Perante os paraibanos, no triunfo por 1x0, no Almeidão, o gol solitário foi de Matheus Carvalho. No compromisso passado, diante dos sergipanos, Luiz Henrique deixou o dele no empate em 1x1, no Batistão.

Wallace e Matheus Carvalho foram os únicos atacantes que balançaram as redes no torneio. Odilávio, Thiago, Rafael Oliveira e Robinho (emprestado ao Bragantino) ficaram em branco. O setor foi um dos que o técnico Gilmar Dal Pozzo mais deu atenção nos primeiros treinamentos, com ênfase nos contra-ataques. Uma dor de cabeça que precisa ser solucionada para o Timbu não se manter na briga pelo acesso á Série B.

Retornos

O Náutico pode ter quatro novidades para o jogo do próximo sábado, contra o Globo/RN, nos Aflitos, pela sexta rodada da Série C. O atacante Jorge Henrique, lateral-direito Hereda, o lateral-esquerdo Assis e o zagueiro Diego Silva treinaram com bola nesta segunda-feira, ficando à disposição do técnico Gilmar Dal Pozzo para a sequência da competição.

Jorge estava se recuperando de uma lesão na panturrilha, sofrida na partida de ida da final do Campeonato Pernambucano, contra o Sport, no dia 14 de abril. Hereda estava com um trauma no tornozelo esquerdo, enquanto Assis ficou fora devido uma lesão grau dois na coxa esquerda. Diego Silva não estava jogando por conta de uma lesão muscular.

Veja também

Em duelo de leões, Sport possui invencibilidade como mandante diante do Fortaleza
Sport

Em duelo de leões, Sport possui invencibilidade como mandante diante do Fortaleza

Lukaku, do Chelsea, se junta a Marcos Alonso para questionar o ato de se ajoelhar contra o racismo
FUTEBOL

Lukaku, do Chelsea, se junta a Marcos Alonso para questionar o ato de se ajoelhar contra o racismo