Esportes

Edinson Cavani diz que gostaria de jogar a Libertadores

Centroavante uruguaio jogou por apenas seis meses no Danubio e não disputou a principal competição sul-americana

Cavani fez falta dura em Neymar durante amistoso Cavani fez falta dura em Neymar durante amistoso  - Foto: ADRIAN DENNIS / AFP

Aos 32 anos, o atacante uruguaio Edinson Cavani ainda tem uma temporada de contrato com o Paris Saint-Germain e sonha com a conquista da Liga dos Campeões da Europa. Em entrevista ao ex-zagueiro Sebastian Dominguez ,pela ESPN da Argentina, o jogador revelou outro desejo para a sequência da carreira: disputar e vencer a Copa Libertadores. Ele foi jogador profissional na América do Sul por apenas seis meses e não disputou o principal torneio do continente.

"Eu amaria ganhar uma Libertadores. É um dos desejos que eu tenho disputar, sempre queremos o que não temos. E se puder ser pelo Danubio é melhor ainda, pela formação que me deu, pela possibilidade que me deu de crescer e chegar onde cheguei. Gostaria de vestir essa camisa de novo. É um desejo que tenho, porque jogo a Champions, mas também gostaria de viver a experiência da Libertadores, são experiências que o futebol te dá, viver esse espetáculo que reflete nosso futebol, de onde viemos", afirmou o atacante.

Cavani atuou pelo Danubio, do Uruguai, como profissional em 2006, apenas dois anos após chegar à base do clube. Ele disputou o Apertura, vencido pela equipe uruguaia, mas acabou vendido aos italianos do Palermo após se destacar no Sul-Americano sub-20. Bem na Europa, foi negociado com o Napoli e em seguida chegou ao PSG há seis temporadas e se tornou ídolo no futebol francês.

Leia também:
Mbappé relativiza desentendimento entre Neymar e Cavani
Neymar e Cavani quase trocaram agressões, diz o L'Équipe


Na mesma entrevista, o uruguaio ainda falou sobre o conflito com Neymar. Em 2017, o brasileiro recém-contratado decidiu bater um pênalti contra o Lyon mesmo sabendo que o uruguaio era o cobrador oficial do time. "Creio que não poderia ter acontecido o que aconteceu e que as coisas deveriam ter sido claras. Se fossem claras desde o começo teria sido diferente e acima de tudo, com respeito. Eu que batia os pênaltis, então te digo nesse aspecto foi a minha maior chateação. E bom, chegou o momento que eu falei. 'Ney, sou eu quem bate os pênaltis.' E depois fomos ao vestiário, um chateado aqui, um ou outro reclamava. Foi aí que eu cheguei nele e perguntei qual era o problema e lhe disse o que pensava dele", disse Cavani.

Veja também

Bia Haddad leva Brasil às semifinais de duplas no Aberto da AustráliaTênis

Bia Haddad leva Brasil às semifinais de duplas no Aberto da Austrália

'Ano de afirmação na minha carreira', fala Alanzinho sobre temporada com a camisa do SportSport

'Ano de afirmação na minha carreira', fala Alanzinho sobre temporada com a camisa do Sport