Série C

Elogios a Bileu e poder de anulação: Martelotte exalta sistema defensivo do Santa

Um dos pilares que formam a identidade do time, setor mais uma vez se sustentou com eficiência e foi ressaltado pelo treinador coral

Marcelo Martellote, técnico do Santa CruzMarcelo Martellote, técnico do Santa Cruz - Foto: Rafael Melo/Santa Cruz

Seis jogos sem perder. Time de melhor campanha do Grupo A da Série C, na liderança com 24 pontos. Equipe com maior quantidade de gols marcados entre as duas chaves. Mais de 98% de chance de se classificar à próxima fase da competição, aos poucos, com paciência. Todos esses quesitos foram sequenciados no triunfo por 1x0 sobre o Treze/PB neste sábado (17), em Campina Grande, pela 11ª rodada do Grupo A da Série C do Campeonato Brasileiro 2020. 

Para o técnico Marcelo Martelotte, na entrevista pós-jogo, resultado que surge como atribuição mais do que merecida à capacidade coletiva de anulação do adversário, destacando, em especial, o sistema defensivo coral como grande pilar, resposável por travar as investidas ofensivas do Galo em campo. 

“Funcionou bem o sistema defensivo, a gente deu poucas chances ao adversário, porque o time trabalhou bem em termos de marcação. Se não foi a melhor, foi uma das melhores (partidas da defesa), a gente já sabia das dificuldades que o adversário poderia nos impor até pelo momento que ele vivem na competição, mas tivemos esse comportamento que foi preciso no sentido de evitar a pressão do adversário e depois colocando a nossa qualidade para poder ter um predomínio dentro do jogo”, avaliou Martelotte. 
 

 

A análise se estendeu ao papel cumprido pelo volante Bileu, que atuou os 90 minutos. “Quem tem feito e muito bem essa função de volante é Bileu. Ele tem cumprido essa função de maneira muito interessante. Hoje, mais uma vez, para mim foi um dos melhores jogadores e é lógico que a gente sabia como seria o final da partida, o adversário iria se jogar e a gente precisava de um pouco mais de força. Entendo que, com um pouco mais de calma na transição, tínhamos até condição de fazer o segundo gol, como tivemos em alguns momentos”, ressaltou. 

Com a ausência das torcidas nos estádios, jogadores e comissão técnica tem enfrentado um já longo período de adaptação aos ecos de suas próprias vozes, que circulam nos equipamentos a cada rodada. O que também já passou a ser um desafio para a arbitragem, que quase toda reclamação pode ouvir. A polêmica ficou por conta de um pênalti não marcado para o Treze. O lance rendeu expulsão e se estendeu para além dos 90 minutos. Na visão do treinador coral, com boa arbitragem do trio do maranhense que comandou a partida.

“O pênalti estava um pouco longe. Eu tenho muitas dúvidas sobre o impedimento do Caio (Mancha) no segundo tempo, foi bem na minha frente, tenho quase certeza que ele partiu depois do lançamento. Seria uma chance clara de gol também, então a arbitragem foi boa e a gente deu poucas oportunidades ao adversário. Esse era um dos nossos objetivos nesse jogo”. 

O Santa Cruz volta a campo no próximo domingo (25), às 18h, no Arruda, pela 12ª rodada da Série C. O adversário é o rival do Galo, o Botafogo/PB, vice-lanterna do Grupo A, com 11 pontos. 

Veja também

Gianni Infantino, presidente da Fifa, é diagnosticado com Covid-19
Futebol

Gianni Infantino, presidente da Fifa, é diagnosticado com Covid-19

Santa estende vínculo de Didira até o final da Série C com prorrogação automática
Santa Cruz

Santa estende vínculo de Didira até o final da Série C com prorrogação automática