Série C

Em jogo decidido nos detalhes, Santa Cruz bate o Treze/PB por 1x0, no Amigão

Tricolor não fez sua melhor atuação na competição, mas foi eficiente ao dificultar a vida do adversário, abrindo, agora, 11 pontos do quinto colocado do Grupo A

Lourenço, autor do gol que deu a vitória ao Santa Cruz sobre o Treze/PB, pela Série CLourenço, autor do gol que deu a vitória ao Santa Cruz sobre o Treze/PB, pela Série C - Foto: Rafael Melo/SCFC

Jogo sem grandes destaques. Resolvido nos detalhes e na base da vontade. Foi assim que o Santa Cruz mais uma vez superou as limitações e bateu o Treze/PB por 1x0 neste sábado (17), no Amigão, em Campina Grande, em duelo válido pela 11ª rodada da Série C. O único gol da partida foi anotado por Lourenço, aos 8 minutos do segundo tempo, e permitiu ao Tricolor expandir a vantagem na liderança do Grupo A da Série C, chegando aos 24 pontos e abrindo 11 pontos de distância do quinto colocado, que continua sendo o Galo da Borborema, com 13 pontos. O próximo confronto dos corais acontece no domingo (25), contra o Botafogo/PB, no Arruda. 

Há uma semana, ressaltava-se a guinada no equilíbrio entre os setores na Cobra Coral. Defesa e ataque davam indícios de que caminhariam juntos, partindo de uma regularidade em processo para os próximos jogos na competição. Não foi exatamente o que aconteceu neste sábado. Sem criatividade, o Santa Cruz repetiu em sua atuação o que vem sendo um velho dilema na temporada, a dificuldade de transitar pelo meio de campo para chegar no último terço. 

Em contrapartida, o time comandado por Marcelo Martelotte, que ainda não repetiu escalação desde que assumiu o comando técnico coral, se utilizou bem de outros artifícios: vontade e resiliência para vencer a partida e dá mais um passo largo rumo à classificação, que a cada rodada se torna ainda mais real. 

Já o Treze, do técnico Márcio Fernandes, não sustentou o bom rendimentos dos últimos três jogos e quebrou uma sequência de sete jogos sem perder no campeonato. Com o triunfo do Ferroviário também por 1x0 sobre o Remo, o Galo viu a distância para o G4 aumentar para 4 pontos. O Alvinegro terá o Paysandu, em casa, no próximo sábado (24). 
 

O jogo

O Santa Cruz iniciou a partida com novidades. O jovem goleiro Jordan estreou com a camisa coral, após o anúncio de que Maycon Cleiton, titular da equipe, testou positivo para Covid-19. Já o Galo, contou com o retorno do volante Robson, que cumpriu suspensão automática no último duelo. 

A partida começou truncada, com os dois times bem compactados no sistema defensivo, o que prejudicou a fluidez do duelo nos 45 minutos iniciais. As boas oportunidades no confronto, portanto, tardaram a acontecer, surgindo dos pés de Gilvan somente aos 14. O atacante trezeano recebeu na intermediária e arriscou de longe, mas parou nas mãos do estreante Jordan, que voo de encontro à bola, em boa defesa.

Tendo em conta a dificuldade de criação das duas equipes, a alternativa mais buscada na primeira etapa pelo Tricolor se resumiu ao lado direito do campo, com Toty - novamente em boa aparição - e Leonan avançado, que não rendeu o esperado na linha de frente. Quando tentava fugir disso, faltava campo e o único caminho aparente foi recorrer às transições direitas.

Pelo lado trezeano, o armador Douglas Lima não estava numa noite boa, e não rendeu pelo lado esquerdo. Coube a Gilvan se apresentar mais o jogo, assim como Frontini, que precisou de deslocar bastante da área. O jeito foi aproveitar as brechas deixas pelos corais para arriscar de longe, como fez Vinícius Barba, aos 29, e novamente Gilvan, aos 44. 

Ao contrário do que foi a segunda etapa. Paraibanos e pernambucanos arriscaram mais no jogo. O Tricolor, no entanto, foi mais eficiente. Logo aos 8, Didira cobrou falta na área e Lourenço subiu, de ombro, para balançar as redes do goleiro Andrey, no Amigão, e fazer seu primeiro gol com a camisa coral. A partir daí, Márcio Fernandes tomou ação e começou a mexer no time, o que não adiantou. Pelo contrário, o Santa Cruz apareceu melhor.

Aos 21, Perí encontrou Pipico na área, mas o camisa nove desbarrou em Andrey. A polêmica do jogo, no entanto, surgiu seis minutos depois. Gilvan foi acionado na frente e acabou sendo tocado por baixo pelo arqueiro coral. Pênalti não marcado para os paraibanos, que rendeu muita reclamção e expulsão. Sem tomar conhecimento da situação, o time comandado por Martelotte ainda chegou na frente com Jáderson - que entrou bem -. Também contou com o retorno do volante Paulinho e com a estreia do centroavante Caio Mancha. 

Ficha do jogo

Treze/PB

Andrey; Gustavo (Ermínio), Ítalo, Nilson Júnior e Gilmar; Robson (Maycon), Vinícius Barba, Douglas Packer (Bruno Mota), Douglas Lima (Maycon Paixão); Gilvan e Frontini. Técnico: Márcio Fernandes.

Santa Cruz

Jordan; Toty, Danny Morais, Célio Santos e Perí; André, Bileu e Didira (Tinga); Leonan (Paulinho), Lourenço (Jáderson) e Pipico (Caio Mancha). Técnico: Marcelo Martelotte.

Estádio: Amigão (Campina Grande/PB)

Árbitro: José Henrique de Azevedo Júnior. Assistentes: Djavan Costa da Silva e Raphael Max Borges Pereira (trio do MA)

Gols: Lourenço (aos 8’ do 2º T).

Cartões amarelos: Bileu (STA), Maycon (TRE), Célio Santos (STA), Cláudio Murici (TRE), Marcelo Martelotte (STA) e Gilmar (TRE).

Cartão vermelho: Bruno Menezes (TRE). 

Veja também

Salgueiro e Afogados se enfrentam neste domingo
Futebol

Salgueiro e Afogados se enfrentam neste domingo

Central empata com Vitória da Conquista e permanece invicto na Série C
Futebol

Central empata com Vitória da Conquista e permanece invicto na Série C