Emery nega rixas no caso Neymar e evita previsão de volta

Técnico subiu o tom em entrevista para desmentir boatos de conflitos internos por conta da cirurgia do atacante

Técnico espanhol Unai Emery e o brasileiro Neymar no PSGTécnico espanhol Unai Emery e o brasileiro Neymar no PSG - Foto: ALAIN JOCARD / AFP

Três dias depois de provocar polêmica ao dizer que era falsa a informação de que Neymar passaria por cirurgia, o técnico do Paris Saint-Germain, Unai Emery, adotou uma postura conciliatória e evitou novos atritos nesta sexta-feira (2). Preocupado em passar a imagem de que a questão foi resolvida sem desentendimentos, o técnico subiu o tom ao rebater informações divulgadas pela imprensa francesa sobre rixas internas no clube.

"Muitas coisas que saem fora [na imprensa] não são verdadeiras. Cada vez temos que desmentir as coisas que saem. Estamos aqui para proteger uns aos outros. Internamente estamos muitos fortes. É normal que saiam estas notícias na imprensa. Quando você tem um jogador importante como Neymar, é normal enfrentar tudo isso. Mas a nossa comunicação é muito boa", afirmou.

O jornal Le Parisien publicou, nesta sexta que Unai Emery e a equipe médica do clube vivem sob tensão há meses. Já o L'Equipe informou que houve desentendimentos até a decisão final. Neymar e o seu estafe já estavam convictos da necessidade da operação na terça (27), mas o clube confirmou o procedimento só no final da tarde do dia seguinte.

Segundo Emery, o desdobramento do caso foi normal. "Foi uma lesão que pode acontecer com qualquer jogador. Quando é um jogador como Neymar, são muito mais notícias. Internamente falamos com nossos médicos, depois com o da seleção brasileira, depois o presidente falou comigo. Tivemos a lesão e depois tomamos a decisão. Procuramos fazer o melhor para a equipe e para ele", disse.

Leia também:
Emery diz ser falsa informação da cirurgia de Neymar
De cadeira de rodas, Neymar desembarca no Brasil
Neymar se manifesta pela 1ª vez após lesão
Por contrato, decisão de operar Neymar é do PSG

"Primeiro foi uma entorse, depois foi constatada uma fissura, se é menos ou mais grave, eu não sei. Vi a radiografia, não sei interpretar se há uma fratura ou não. O que vi foi uma fissura no quinto metatarso. A partir daí veio um médico do Brasil e tivemos conversas. Algumas coisas que foram antecipadas não aconteceram, outras sim. Esperamos que Neymar fique o menor tempo afastado, mas precisamos dar uma resposta sim", afirmou.

Diante da situação, Emery evitou falar sobre uma nova previsão para volta. O treinador chegou a dizer na terça que tinha esperança de vê-lo em campo contra o Real Madrid, no dia 6 de março. Mas, na quinta (1º), o médico da Seleção Brasileira, Rodrigo Lasmar, afirmou que a recuperação pode demorar até três meses, o que significaria o fim da temporada de Neymar pelo PSG.

"Fiz a primeira reunião na terça para falar sobre a lesão, e depois de conversar com médico, falei com o Neymar também. Na quarta ele veio aqui e esteve conosco, conversamos com todos os jogadores e estafe, é normal. Vamos esperar. Em todas as lesões não sabemos dizer quantos meses [de recuperação]. Tudo depende de como o jogador vai progredir. Mas hoje temos muito otimismo, é um jogador importante e esperamos que ele se recupere o mais rápido possível", disse.

Veja também

GPs fora de época fazem F1 se adaptar a frio incomum
Automobilismo

GPs fora de época fazem F1 se adaptar a frio incomum

Federação francesa paralisa torneios após lockdown; liga nacional segue
Coronavírus

Federação francesa paralisa torneios após lockdown; liga nacional segue