Sport

Empossado, Bivar fala de reforma do estatuto e austeridade financeira

Mandatário também afirmou que este deve ser seu último mandato à frente do Sport

Milton Bivar, presidente do SportMilton Bivar, presidente do Sport - Foto: Ed Machado/Folha de Pernambuco

Onze dias após as eleições, na noite desta terça-feira (20), a chapa "Sport de Primeira", vencedora do pleito, foi empossada oficialmente para dirigir o Sport no biênio 2021/2022. Com duração de pouco menos de uma hora, o evento teve o diretor de futebol, Fred Domingos, como orador, e aconteceu de forma remota, sendo transmitido pelo canal oficial do clube no YouTube. Além do reeleito Milton Bivar, no cargo máximo do Executivo, o grupo que estará à frente do Leão tem Carlos Frederico (vice-presidente), Pedro Lacerda (presidente do Conselho Deliberativo) e Gustavo Oiticica (vice do CD). 

Na primeira Assembleia Geral Ordinária comandada pelo novo CD, ficou definido que o Conselho Fiscal do Leão será formado por Honório Valeriano de Oliveira Neto (presidente), Clóvis da Silveira Barros Júnior e Antônio Fernando Miranda (membros titulares) e Valdir de França Falcão, Carlos Alberto Barbosa de Carvalho e Carlos Frederico Domingos Júnior (suplentes).

No discurso mais esperado da noite, Bivar tocou em assuntos de interesse da torcida. Um deles, a possibilidade concreta de aprovação do novo estatuto. "Há a possibilidade de aprovarmos a reforma do estatuto. Está aí, foi feito por boa parte dos conselheiros que estão na mesa. Faltam pequenos detalhes para a aprovação. Será fundamental na nossa caminhada de resgatar o clube", ressaltou o presidente. 

Visando austeridade administrativa, Bivar fez questão de lembrar as dívidas quitadas, e citou os sucessos de Ceará, Fortaleza e Bahia como exemplos, para o Leão voltar a crescer. Equipes nordestinas, hoje, melhores estruturadas financeiramente que o clube da Ilha do Retiro. 

"É fundamental a compreensão, da forma que nossa gestão administrou o clube desde 2019. Fomos convocados e uma das coisas que falavam para mim, na época, era que o clube estava quebrado e que precisávamos recuperá-lo. temos exemplos dos nossos co-irmãos Fortaleza, Ceará, Bahia, que não se "embriagaram" na Série A. O Fortaleza é um exemplo, veio da D para a A, botou os pés no chão, e está com um crescimento sustentável. No Sport, foram mais de R$ 400 milhões de reais jogados fora. Como foi feito isso? Acho que esqueceram que o Sport é o maior clube do Nordeste", desabafou.  

Para finalizar, em seu terceiro mandato, o presidente deixou claro que esta deve ser a última vez que ele fica à frente da presidência do Sport. "Eu mesmo não posso me candidatar, talvez seja minha última participação como presidente. Contamos com muita gente para lidar com a responsabilidade de comandar um clube do tamanho do Sport. Os familiares são muito importantes neste quesito, e confesso que deve ser meu último ano como presidente do Sport", detalhou.

Veja também

“Jogamos abaixo do nosso potencial”, lamenta Louzer
Futebol

“Jogamos abaixo do nosso potencial”, lamenta Louzer

Hélio evita críticas sobre erros de finalização e reforça confiança em título
Futebol

Hélio evita críticas sobre erros de finalização e reforça confiança em título