CASO DANIEL ALVES

Entenda por que São Paulo continuará pagando Daniel Alves, condenado a quatro anos de prisão

Tricolor possui um acordo para quitar R$ 24 milhões com o ex-jogador, que atou no Morumbi por dois anos

Daniel Alves com a camisa do São Paulo, em 2019 Daniel Alves com a camisa do São Paulo, em 2019  - Foto: Martin Mejia/POOL/AFP

Condenado a quatro anos e meio de prisão por estuprar uma mulher no banheiro de uma boate em Barcelona, Daniel Alves está preso preventivamente na Espanha desde o início de 2023, mas nunca parou de receber valores do São Paulo neste período. Isso porque o clube paulista, onde ele atuou entre 2019 e 2021, segue lhe devendo valores relacionados à rescisão de contrato.

Quando acertou a saída do Morumbi, em setembro de 2021, o acordo feito entre as partes previa que o clube devia R$ 24 milhões a Daniel. O valor foi então dividido em 60 parcelas de R$ 400 mil. Assim, a dívida começou a ser paga em janeiro de 2022, e só será quitada ao final de 2026, o que independe da situação judicial do ex-lateral de 40 anos.

Enquanto esse acordo ainda se desenhava e ele estava jogando pelo tricolor, chegou a acionar um órgão da CBF, o que colocou o clube em risco de perder pontos. Portanto, caso volte a não pagar o antigo funcionário, ainda poderá se prejudicar.

No ano passado, Dinorah Santana, ex-mulher do brasileiro e mãe de dois filhos (Daniel e Vitória), moveu uma ação por não pagamento de pensão alimentícia. Através disto, conseguiu bloquear cerca de R$ 7 milhões das contas bancárias de Daniel Alves, além de 30% do valor que ele recebe do São Paulo pelo acordo realizado.
 

Contratação frustrante
O salário de Daniel no Morumbi era de cerca de R$ 1,5 milhão por mês, e o contrato original duraria até o final de 2022. Com a decisão, a gestão do presidente Julio Casares, que pagou os direitos trabalhistas, projetou gastar cerca de R$ 27 milhões a menos. No entanto, sua contratação havia sido na gestão de Leco, o antecessor no cargo.

Havia a promessa de que investidores privados ajudariam o tricolor a pagar os vencimento do jogador, mas isso nunca aconteceu. No mais, sua passagem pelo São Paulo, onde foi apresentado com direito a 40 mil pessoas no estádio tricolor, foi marcada por decepção em campo.

Ao assumir no início de 2021, Casares herdou uma série de salários atrasados — que chegavam a R$ 18 milhões — e fez o acordo em questão, para que diminuísse o prejuízo a longo prazo. Ao voltar das Olimpíadas de Tóquio, ele até se recusou a entrar em campo.

Naquele momento, Daniel ficou livre no mercado e acertou um retorno ao Barcelona. Na época do estupro pelo qual foi condenado, no final de 2022, ele defendia o Pumas, do México.

Veja também

Torcida faz festa no Ibirapuera, mas Bia Haddad abre duelo com Alemanha com derrota
Tênis

Torcida faz festa no Ibirapuera, mas Bia Haddad abre duelo com Alemanha com derrota

CBF desmembra tabela e Náutico conhece datas e horários de oito primeiros jogos da Série C; confira
Náutico

CBF desmembra tabela e Náutico conhece datas e horários de oito primeiros jogos da Série C; confira

Newsletter