Erick pronto para desafio na Série B

Atacante se destacou no Pernambucano 2017 pelo Náutico

Erick, de apenas 19 anos, é o artilheiro do Náutico em 2017Erick, de apenas 19 anos, é o artilheiro do Náutico em 2017 - Foto: Anderson Stevens

Em termos de emoção e nível técnico, o Campeonato Pernambucano 2017 não foi dos mais atrativos. Mas a competição é uma oportunidade interessante para jovens atletas demonstrarem seu potencial. Em caso de bom proveito, o resultado é uma permanência no elenco para os torneios nacionais. Foi exatamente isso que aconteceu com o atacante Erick. A partir do dia 12 de maio, data em que começa a Série B do Campeonato Brasileiro, ele terá pela frente o desafio de provar que suas exibições no Estadual não foram mera obra do acaso.

O Náutico não conseguiu, mais uma vez, terminar o Pernambucano comemorando um título. O saldo negativo, contudo, não abalou a imagem de Erick. O atleta de 19 anos chegou como desconhecido ao elenco profissional e, em pouco tempo, virou a principal esperança da temporada. O salário aumentou, mas o assédio também. Desde então, o clube optou por não coloca-lo para conceder entrevistas coletivas. O empresário dele, Guilherme Cavalcanti, contratou até um assessor de imprensa para “treinar” o jovem antes do encontro com os jornalistas.

"Erick teve uma ascensão meteórica. Foi bem na Copa São Paulo, se destacou no profissional e já recebeu sondagens de clubes da Série A do Brasil. Mas não chegaram propostas oficiais. Respeito a decisão do Náutico e até acho isso uma forma de preservar o atleta”, afirmou o empresário.

Além de Erick, Cavalcanti também é empresário do atacante Jefferson Nem e foi o agente responsável por negociar a saída do meia Marcos Vinícius, formado nas categorias de base do Náutico, para o Cruzeiro. Sobre a situação do atual camisa 33 do Timbu e do ex-meia alvirrubro, o empresário vê algumas diferenças. "Erick teve um crescimento mais rápido, enquanto Marcos foi mais gradual. As situações eram diferentes, mas o cuidado com eles foi praticamente o mesmo”, pontuou.

Para um clube brasileiro tirar o jogador do Náutico, o valor é de R$ 12 milhões – para equipes do exterior, o preço é mais elevado. O Timbu, embora enfatize o desejo de segurar Erick, sabe que o assédio é forte e uma possível saída no final do ano ou antes é possível. Por isso, a meta é aproveitar o crescimento de Erick na luta para voltar à Primeira Divisão.

Vendas

O último jogador formado na base do Náutico a ser negociado foi o meia Marcos Vinícius. O clube pernambucano recebeu R$ 1,9 milhão pelo atleta. Outro que trouxe um bom retorno financeiro ao Alvirrubro foi o lateral-esquerdo Douglas Santos. Em 2013, ele foi para o Granada/ESP por R$ 4,5 milhões. Hoje, o atleta defende o Hamburgo, da Alemanha.

Veja também

Chateado, Martelotte se desculpa com o torcedor e lamenta permanência na série C
Santa Cruz

Chateado, Martelotte se desculpa com o torcedor e lamenta permanência na série C

Gestão Constantino Júnior fecha ciclo sem conquistas
Futebol

Gestão Constantino Júnior fecha ciclo sem conquistas