Esconder o jogo é a arma do Náutico

Treinador Roberto Fernandes aposta pesado na tática do mistério poucos dias antes da final do Pernambucano entre Náutico e Central

Roberto Fernandes, técnico do NáuticoRoberto Fernandes, técnico do Náutico - Foto: Anderson Stevens/Folha de Pernambuco

Adepto de treinos secretos em vésperas dos jogos, o técnico Roberto Fernandes intensificou o clima de mistério e fechou a atividade de ontem, realizada na Arena de Pernambuco. Hoje à tarde, adotará a mesma postura. A intenção é esconder ao máximo a escalação do Náutico para a final do Campeonato Pernambucano, diante do Central, no domingo. Para o confronto da volta, o treinador terá a presença confirmada do seu artilheiro na competição e corre contra o tempo para contar com um importante reforço na defesa.

Em fase final de recuperação de uma lesão na coxa esquerda, o zagueiro Breno Calixto pode ser a novidade no sistema defensivo. Sem jogar desde o dia 14 de março, o atleta fará alguns testes para saber se poderá entrar em campo. Caso contrário, a equipe deve continuar com Camacho e Camutanga na zaga.

No meio-campo, a boa notícia foi a presença de Wallace Pernambucano no treinamento de ontem. O jogador estava reclamando de dores musculares após a partida de ida contra o Central, mas não teve contusão detectada. O artilheiro do clube no torneio, com quatro gols, está liberado para jogar a final.

Leia também:
Wendel quer título do Náutico como presente de aniversário 
Náutico x Central terá recorde de público na Arena

O único desfalque confirmado é o de Josa. Com lesão no joelho esquerdo, o volante ficará seis semanas fora dos gramados. Seu provável substituto é um atleta que tem tudo para comemorar duplamente no domingo.

“Será muito especial para mim, porque, além da final, também é meu aniversário. Pode ser minha última oportunidade de disputar um título. Estou ansioso. Espero coroar o dia com a taça e quem sabe ter um bolo no vestiário para comemorar a data”, brincou o jogador, que fará 36 anos. Um dia antes, inclusive, é a vez de o próprio clube receber os parabéns pelos 117 anos de história.

Com 18 títulos na bagagem, Wendel tem sido uma peça importante nos bastidores para passar sua experiência ao elenco. “Muitos me perguntam o que fazer nesse momento e minha resposta é clara: ter seriedade, respeito ao adversário e dedicação nos treinos. Isso o grupo tem de sobra. Estamos com os pés no chão. Nossos números são parecidos com o do Central. Eles não eliminaram o Sport à toa. Acredito que será um jogo mais rápido por conta do campo, mas estamos preparados”, frisou.

Veja também

Santa Cruz estende o contrato de três jogadores até o fim da Série C
Futebol

Santa Cruz estende o contrato de três jogadores até o fim da Série C

Martelotte e dois jogadores do Santa Cruz testam positivo para a Covid-19
Futebol

Martelotte e dois jogadores do Santa Cruz testam positivo para a Covid-19