A-A+

Esperança dos 49ers, Garoppolo brilha após deixar Brady

Contra o Kansas City Chiefs, o quarterback do San Francisco enfrentará o Kansas City Chiefs, no Sun Life Stadium

Jimmy Garoppolo, quarterback do San Francisco 49ersJimmy Garoppolo, quarterback do San Francisco 49ers - Foto: Michael Reaves / GETTY IMAGES NORTH AMERICA /

Jimmy Garoppolo chegou, enfim, ao Super Bowl como titular -mas com uma camisa diferente da que todos imaginavam. Depois de ter entrado na NFL em 2014, visto como sucessor de Tom Brady e aposta da Bill Belichick para manter viva a dinastia do New England Patriots, o quarterback só brilhou após ter trocado de equipe e agora lidera o San Francisco 49ers.

Aos 28 anos, Garoppolo já tem dois anéis de campeão da NFL, mas em ambos ele era reserva de Brady nos Patriots e não chegou a entrar em campo nos triunfos sobre Seattle Seahawks, no Super Bowl 49, e Atlanta Falcons, no Super Bowl 51.

O estilo de jogo parecido com o de Brady, o jogo de pés e a mecânica de lançamentos inspirados no ídolo, a boa precisão nos passes, a leitura rápida de jogo e até mesmo sua beleza foram alguns dos fatores que fizeram o quarterback se tornar personagem relevante na NFL antes mesmo de assumir a titularidade dos 49ers na reta final da temporada 2017.

Garoppolo foi selecionado pelos Patriots na 62ª escolha do Draft de 2014 e lapidado para ser o substituto de Brady, de quem era fã declarado desde a infância. "Ele nunca teve nenhum pôster no quarto, mas Tom Brady certamente era o cara dele", disse Denise Garoppolo, mãe do quarterback, em entrevista ao Boston Globe.
Por três temporadas e meia, o quarterback fez apenas 17 jogos, sendo dois como titular, mas todos sabiam que o jovem seria apenas reserva enquanto o astro atuasse em alto nível na franquia.

Assim, Garoppolo ficou no banco até que o fim do período de trocas na temporada 2017 se aproximou e Bill Belichick, técnico dos Patriots, aceitou a exigência feita por Robert Kraft, dono da franquia, para trocar o jogador por uma modesta escolha de segunda rodada do Draft de 2018.

O primeiro contrato de Garoppolo com os Patriots chegava ao fim, e a franquia não estava disposta a pagar um salário de elite para dois jogadores da mesma posição. Brady jogava em alto nível e usou sua influência com a direção para que a troca fosse concretizada segundo matéria divulgada pela ESPN norte-americana em janeiro de 2018. Belichick, contrariado e furioso, aceitou o negócio, mas sua relação com o quarterback titular e com a diretoria ficou bastante abalada.

Ainda segundo a ESPN, Belichick escolheu os 49ers como destino para o jogador por entender que ele iria se desenvolver nas mãos do técnico Kyle Shanahan. Outras equipes tinham interesse no atleta, mas o treinador não ouviu nenhuma outra proposta.

Garoppolo encerrou a temporada 2017 como titular dos 49ers e emendou cinco vitórias seguidas nas últimas rodadas. A equipe tinha perdido dez dos 11 jogos disputados antes de ele assumir a titularidade. Em fevereiro de 2018, o quarterback assinou contrato com a franquia californiana por 5 anos e 137,5 milhões de dólares (R$ 448 milhões na época).

A expectativa para a primeira temporada de Jimmy com a nova franquia era alta, mas durou pouco tempo. O camisa 10 sofreu uma ruptura dos ligamentos do joelho esquerdo em partida válida pela terceira rodada.

Leia também:
Fora do Super Bowl após três anos, Tom Brady avalia futuro na NFL
NFL: Super Bowl terá campeão inédito neste século


Assim, o jogador só voltou a campo em 2019, e o fez em grande estilo. Garoppolo liderou os 49ers com oito vitórias nas oito primeiras rodadas. No fim da temporada regular, a franquia registrava 13 triunfos e três derrotas, a melhor campanha da Conferência Nacional.

No Super Bowl 54, no próximo domingo (2), contra o Kansas City Chiefs, Garoppolo terá a chance de, enfim, colocar seu nome na história da NFL sem a sombra de Brady.

Veja também

Barcelona apresenta balanço com prejuízo superior a R$ 3 bilhões
Espanha

Barcelona apresenta balanço com prejuízo superior a R$ 3 bilhões

Após greve de três dias, jogadores voltam aos treinos no Cruzeiro
SÉRIE B

Após greve de três dias, jogadores voltam aos treinos no Cruzeiro