LoL: Baiano fala sobre 'CBolão', quarentena e futuro

Nascido na Bahia e radicado em Pernambuco, streamer e ex-jogador de League of Legends arrecadou R$ 125 mil para combater o coronavírus

Gustavo "Baiano" Gomes, streamer e analista de League of LegendsGustavo "Baiano" Gomes, streamer e analista de League of Legends - Foto: Riot Games/Divulgação

A quarentena em virtude do coronavírus paralisou diversas atividades esportivas pelo mundo, também afetando o mundo dos esports. Com a paralisação de diversos campeonatos, como o CBLoL por exemplo, o fã de League of Legends seguiu em busca de algum torneio para chamar de seu. A solução veio através de um nordestino. Nascido na Bahia e radicado em Pernambuco, Gustavo “Baiano” Gomes cativou o público com o “CBolão”, que reuniu importantes nomes do cenário brasileiro de LoL e trouxe números expressivos de audiência e em doações.

Em entrevista exclusiva à Folha de Pernambuco, Baiano falou sobre a motivação em realizar o torneio, que na primeira edição “de quarentena” reuniu 10 equipes. “Queria reforçar a questão da quarentena, da importância de ficar em casa. Vi muita gente falando que era muito chato ficar sem ter nada para fazer ou assistir. Como sou amigo da maioria dos jogadores fui tendo as ideias e “comprando” ideia de muita gente, time de coreano, de latinos. A comunidade abraçou de um jeito surreal”, comenta.

Disputado ainda em março, o primeiro final de semana do CBolão conseguiu cerca de R$ 125 mil em doações para combater a Covid-19. Participaram dos “donates” Cloud9 e Team Liquid, dos Estados Unidos e organizações brasileiras. A LOUD, do Free Fire, por exemplo, doou R$ 10 mil reais, enquanto que a paiN Gaming deixou R$ 16 mil.

Ainda resolvendo trâmites burocráticos para destinar a doação, Baiano fala que já conversou com o Governo de São Paulo, estado mais afetado pela Covid-19 para destinar os recursos. Até o fechamento desta matéria, São Paulo diagnosticou 4.866 casos da doença, com 304 óbitos.

Além disso, o evento contou com a narração do ex-narrador do CBLoL, Diego "Toboco" Pereira, além de comentaristas convidados como Matheus "Mylon" Borges, ex-paiN Gaming e Filipe “Ranger” Brombilla.

“Para mim foi insano. Esse recorde foi absurdo. Minha meta era de R$ 30 mil como outros já fizeram. Com certeza foi acima das expectativas. A comunidade abraçou a ideia”, completa Baiano.

Com números que superaram a live do streamer Ibai “Ibai” Llanos e a ESL Pro League de CS:GO, o CBolão acabou sendo uma grande opção em um fim de semana sem esportes tradicionais como o futebol.

Perguntado como os esports podem ajudar o público e a relação com competições já estabelecidas entre os esportes, Baiano exalta a praticidade de uma transmissão em meio à quarentena.

"Isso é uma vantagem que temos. Ainda vai ser difícil porque temos que ter precauções. Mas é muito mais fácil fazer com cinco do que com cinco mil”, diz. “Além disso, é uma boa oportunidade onde o esporte eletrônico pode conseguir uma visibilidade a mais”, completa.

Leia também:

LoL: jogadores reúnem R$ 125 mil em doações para combater a Covid-19
Riot Games suspende CBLoL 2020 em virtude da Covid-19
CBLoL 2020: paiN quebra 'zica' e Vivo Keyd segue na liderança

PRESENÇA FEMININA

Antes mesmo que a competição masculina acontecesse, um showmatch entre as Garotas Mágicas e Team Innova foi realizado, com vitória da I9. Baiano exalta a importância da presença feminina no cenário. “A minha ideia inicial era colocar dentro da competição principal, mas elas preferiram fazer um showmatch que também mostra o potencial delas”, diz o analista.

FUTURO

Sem participar como jogador no cenário competitivo desde o fim de 2019, quando atuou pela Santos eSports, Baiano ainda almeja o retorno. Para o streamer e comentarista, a saúde é fator determinante para a volta o CBLoL ou Circuito Desafiante.

“Confesso que isso ronda minha cabeça atualmente. Ainda tenho vontade de jogar, mas para isso pretendo me cuidar para voltar. Tive que parar por questões de saúde, mas se conseguir me estabilizar posso voltar”, encerra Baiano, que recebeu propostas antes do início do split.

Primeiro jogador profissional de LoL a atuar cenário dos EUA, pela Big Gods Jackals, Baiano já enfrentou outros problemas de saúde. Em 2016, o jogador retirou um tumor benigno do intestino. Além disso, no fim de 2018 ainda pela CNB, Baiano se afastou do cenário competitivo para se recuperar de depressão. 

Veja também

Brasil disputa vaga na final do Pré-Olímpico de Basquete neste sábado
Basquete

Brasil disputa vaga na final do Pré-Olímpico de Basquete neste sábado

Sem lesionado Felipe, seleção faz treino de posse de bola antes de folga
Futebol

Sem lesionado Felipe, seleção faz treino de posse de bola antes de folga