Estes craques podem ficar de fora da Copa de 2018

Grandes jogadores da atualidade encaram situação difícil para se classificar para o mundial com suas seleções

Robben e Sneijder pela HolandaRobben e Sneijder pela Holanda - Foto: Jeroen JUMELET / ANP / AFP

Faltando pouco mais de um ano para a Copa do Mundo da Rússia em 2018, as eliminatórias continentais vãos e afunilando e as seleções que irão figurar o mundial vão se definindo. É certo que teremos grandes estrelas do futebol no certame, mas outras podem ficar de fora, desperdiçando a chance de brilhar pelo seu país.

Se as eliminatórias acabassem hoje, 11 camisas defendidas por craques do esporte estariam de fora da competição, mas ainda há tempo de correr atrás e cavar uma vaga no solo russo.

EUROPA


HOLANDA – Robben, Depay, Sneijder e Wijnaldum.

No Grupo A, a Laranja Mecânica agoniza para se garantir ao menos na repescagem continental. Atualmente está na quarta colocação com sete pontos. Em cinco jogos foram duas vitórias, um empate e duas derrotas. A situação piorou ainda mais depois da derrota para a Bulgária por 2x0 no último sábado, resultado que custou o cargo do técnico Danny Blind.

A França, que lidera o grupo, já emplacou uma distância de seis pontos, e a Suécia, ocupando a vaga da repescagem, está com três a mais. Os triunfos acumulados até agora foram diante da Bielorrússia e Luxemburgo, as duas lanternas da chave.

PAÍS DE GALES – Bale, Ramsey e Allen

A terceira colocação no Grupo D incomoda muito mais do que parece. Os comandados de Chris Coleman estão quatro pontos atrás da Irlanda e da Sérvia, os líderes da chave empatados em 11. Nos últimos cinco jogos, foram quatro empates e apenas uma vitória, e tantos resultados perdidos podem significar o fim de qualquer chance de disputar o mundial no Kremlin.

O próximo jogo acontece no dia 11 de junho, fora de casa contra a própria Sérvia. Não somar pontos deixará o sonho muito distante.

BÓSNIA – Pjanic e Dzeko

Com uma seleção competitiva, os bósnios foram a Copa do Mundo pela primeira vez em 2014, mas estão suando muito mais para repetir o feito. Com dez pontos, estão um ponto apenas atrás da Grécia, seleção que ocupa a vaga da repescagem, e terá um duelo direto na próxima rodada justamente contra os gregos em casa.

O caminho não será dos mais fáceis, e certamente irá necessitar de muita garra e concentração dos comandados de Mehmed Bazdarevic. Não tropeçar é fundamental.

ÁFRICA


ARGÉLIA – Slimani, Mahrez e Brahimi

Depois de uma campanha surpreendente em 2014, certamente os argelinos representam uma das grandes decepções nesse período de eliminatórias. A lanterna do Grupo B não representa a qualidade do time, e, como cada grupo só dispõe de uma vaga para o mundial, os cinco pontos de diferença impostos pela Nigéria.

GABÃO – Aubameyang

No Grupo C, os dois pontos acumulados pela seleção do astro do Borussia Dortmund permitiram que a Costa do Marfim se distanciasse na tabela, abrindo dois pontos de vantagem. A próxima rodada marca o encontro das duas seleções e uma “final antecipada”.

SENEGAL – Sadio Mané, Kalidou Koulibaly, Idrissa Gueye e Chiekhou Kouyate

Para subir de crescimento e garantir lugar na Rússia no ano que vem, é esperado muito mais dos senegaleses. O elenco disponível é composto por atletas em boas atuações no Velho Continente, principalmente, e esse conjunto é capaz de decidir e tirar a vantagem de apenas um ponto de Burkina Faso e da África do Sul.

GANA – Asamoah Gyan, Jordan Ayew, Andre Ayew e Baba Rahman

Cair no mesmo grupo do Egito, campeão da Copa de Nações Africanas, é certeza de dificuldade, mas ninguém esperava que Gana tivesse um início tão ruim. Um empate e uma derrota foram capazes de jogar as estrelas negras a cinco pontos de distância dos líderes. Todo o resto das eliminatórias precisa ser livre de tropeços.

AMÉRICA DO NORTE, CENTRAL E CARIBE

ESTADOS UNIDOS – Christian Pulisic, Tim Howard e Clint Dempsey

Duas derrotas e apenas uma vitória nos três primeiros jogos das eliminatórias é realmente pouco para uma seleção de campanha expressiva na Copa de 2014. Os EUA dispõe de elementos individualmente melhores e mais novos, mas precisa urgentemente entrar nos trilhos para se garantir em 2018.

Atualmente na repescagem, a “confortável” situação é logo destruída por Honduras e Trinidad e Tobago, seleções que somam os mesmos três pontos e estão logo atrás dos americanos. Na próxima terça (28), às 23h05, os Estados Unidos visitam o Panamá visando maior tranquilidade na competição.

AMÉRICA DO SUL


CHILE – Alexis Sanchez, Arturo Vidal e Claudio Bravo

A sexta colocação com 20 pontos incomoda e muito os chilenos, campeões das duas últimas edições da Copa América. O recorde de seis vitórias, dois empates e cinco derrotas, coloca em xeque a presença de uma das melhores seleções das Américas no mundial.

No entanto, a situação pode mudar já nesta rodada. Lanterna das eliminatórias, a Venezuela vai até Santiago, enquanto o Equador, seleção a frente do Chile, recebe a Colômbia. Uma combinação de resultados recoloca de forma momentânea os comandados de Juan Antonio Pizzi na Rússia ano que vem.

Veja também

Kevyn testa positivo para Covid-19 e desfalca Náutico
Futebol

Kevyn testa positivo para Covid-19 e desfalca Náutico

Casagrande critica omissão da CBF e Bolsonaro: 'Governo da morte, não da vida'
Opinião

Casagrande critica omissão da CBF e Bolsonaro: 'Governo da morte, não da vida'