Futebol

Evandro Carvalho detalha processos para liberação de público nos estádios do Recife

Segundo o presidente da FPF, testagem obrigatória é o maior dificultador para retorno de torcedores

Estádios do Trio de FerroEstádios do Trio de Ferro - Foto: Caio Falcão/CNC; Alexandre Aroeira / Folha PE

Os torcedores do Trio de Ferro estão contando as horas para se reencontrar com as arquibancadas no Recife. Na tarde da última terça-feira (01), o Governo de Pernambuco liberou o público de três mil pessoas ou 70% da capacidade local, o que for menor, em eventos esportivos. Porém, ainda restam imbróglios a serem resolvidos para os estádios sejam ocupados, detalha Evandro Carvalho, presidente da Federação Pernambucana Futebol (FPF), em entrevista à Folha de Pernambuco

“Foi exigido um plano diretor de combate à incêndio. É um plano executivo bem complicado de fazer, com mais de oitocentas páginas. Porém o Sport e Santa Cruz, por coincidência, possuem este plano aprovado. Portanto é uma questão de mero ajuste, como botar um alambrado mais alto ou uma luz em alguns locais, coisa simples de resolver.  Já o Náutico é um pouco mais complicado, porque o clube não tem esse plano”, revelou.

Os clubes terão seus estádios liberados após assinarem o termo de ajustamento de conduta com o Corpo de Bombeiros. Segundo Evandro, já que Leão da Ilha e o Tricolor do Arruda  possuíam este plano aprovado há quase uma década, resta apenas uma aprovação do termo de ajuste, já encaminhado pela FPF. 

Antes mesmo de assinar o documento, o Sport já havia realizado diversas reformas na Ilha do Retiro que são exigidas pelo plano diretor de combate à incêndio, facilitando, assim, o retorno do torcedor. Com o andamento do processo, é provável que a próxima partida do Leão dentro de casa, contra o Floresta no dia 19, já tenha a presença de público. 

O Santa Cruz já realizou a maioria das intervenções solicitadas, em, segundo Evandro, uma quantidade suficiente de reformas para a liberação do estádio do Arruda. A Cobra Coral, inclusive, adiantou a assinatura do plano de ajustamento, em busca de uma liberação no José do Rego Maciel a tempo do Clássico das Emoções, no próximo dia 16.

Já o Náutico vive uma situação diferente dos rivais. O Timbu não possuía o plano diretor pré-aprovado, portanto, terá que passar por esta etapa antes de buscar o retorno do torcedor nos Aflitos. De acordo com Evandro, a diretoria alvirrubra estará dando entrada no documento na tarde desta quarta-feira (02), após isso, em um período de aproximadamente 48h, o clube poderá assinar o termo elaborado pelo Corpo de Bombeiros. 

Segundo Evandro Carvalho, o maior obstáculo da presença de torcida nos estádios não é a questão estrutural, e sim a testagem obrigatória da Covid-19. A logística e o número de testes gratuitos disponíveis para este tipo de evento representam um dificultador para clubes pernambucanos. Com isso em mente, a FPF busca abolir essa obrigatoriedade até o próximo dia 17. 

"Você consegue quinhentas pessoas, oitocentas pessoas, mas você não consegue um público de três mil. Não tem tempo, nem logística para fazer todo mundo ser testado. E o torcedor não vai testar no laboratório, ele vai querer  no campo que é de graça. Por essas dificuldades que os outros estados aboliram a testagem", declarou. 

Veja também

"Uma hora o detalhe tem que virar para o nosso lado", desabafa Roberto após empate
Futebol

"Uma hora o detalhe tem que virar para o nosso lado", desabafa Roberto após empate

Náutico tem zagueiro expulso, perde pênalti, e fica no 1x1 com o Criciúma
Futebol

Náutico tem zagueiro expulso, perde pênalti, e fica no 1x1 com o Criciúma