Everton Felipe tem data para volta e fala sobre maturidade

Meia do Sport sofreu grave lesão no joelho e seis meses depois deve retornar. Aos 20, jogador quer mudar postura

Futebol do meia rubro-negro vem chamando a atençãoFutebol do meia rubro-negro vem chamando a atenção - Foto: Arthur Motta/Folha de Pernambuco

No dia 10 de setembro, diante do Avaí, pelo Brasileirão da Série A, o jovem Everton Felipe deixou o gramado aos prantos após uma lesão no joelho. Por curiosidade, quem estava no lance, apesar de não ter tido contato físico, foi o lateral-esquerdo Capa, atualmente companheiro de Everton Felipe no elenco leonino. No dia seguinte, o resultado dos exames: rompimento do ligamento cruzado anterior do joelho esquerdo. Previsão: de seis a oito meses longe dos gramados.

Leia mais
Novo executivo do Sport deve ter conversa com André 
André 'some' e é acionado pelo Sport na Justiça
Nelsinho exalta postura do Sport e exige consistência
Novo executivo do Sport tem foco principal no Brasileirão

E quase seis meses depois, o jovem de apenas 20 anos está muito próximo do retorno. No dia 16 de março estará liberado para trabalhar com bola. Em entrevista concedida à TV Sport publicada nesta semana, o jogador falou sobre a dificuldade de encarar a primeira grave lesão, do apoio de jogadores como Diego Souza e Rithely e da sua mudança de postura para 2018.

LESÃO

Como eu nunca passei por isso na vida, é tudo muito novo. O pior momento é no começo, porque vem o susto, depois a fisioterapia, que é muito dolorosa. No final fica mais a ansiedade.

DATA DO RETORNO

Estou liberado no dia 16 de março, quando se completa seis meses e quero estar ajudando o Sport nas finais do Pernambucano. Estou voltando antes do previsto, já que a previsão era de seis meses.

METAS EM 2018

Para ser bem sincero, eu não penso nas minhas metas para 2018. Ter passado por um momento tão delicado fez com que eu focasse apenas na lesão e na minha melhora. Quando eu estiver bem e jogando as minhas metas irão fluir naturalmente.

APOIO DE DIEGO SOUZA

Muita gente me deu força. Mas, eu tenho realmente uma ligação maior com Diego (Souza), que estava sempre ligando e perguntando como eu estava. Aqui do grupo também recebi muito apoio, de Rithely, Magrão, todo mundo perguntando diariamente.

MENOS POLÊMICAS, MAIS PROFISSIONALISMO

Eu estava conversando com meus pais, eu falava muitas bobagens. Eu preciso me tornar um atleta de futebol. Coisa que é difícil para mim porque eu jogo no Sport, torço pelo Sport, um sonho que tenho desde pequeno. Por isso, as emoções falam mais do que a razão em certos momentos. Eu tenho que aprender a deixar um pouco mais a emoção e agir como um atleta profissional.

TORCEDOR

Nunca perdia um jogo do Sport, mesmo machucado, de muleta. Não era obrigação. Vou para os jogos por amor mesmo. 

Veja também

Para reagir na Série A, Sport busca surpreender Atlético/MG, no Mineirão
Brasileirão

Para reagir na Série A, Sport busca surpreender Atlético/MG, no Mineirão

Bahia, São Paulo e Vasco conhecem adversários da Copa Sul-Americana
Sulamericana

Bahia, São Paulo e Vasco conhecem adversários da Copa Sul-Americana