Racismo

Ex-árbitro Paulo César de Oliveira é alvo de racismo na internet: 'É inaceitável'

Comentarista da TV Globo foi vítima de ato racista em seu perfil de rede social após atuação em Fluminense x Corinthians

Paulo César de Oliveira, comentarista de arbitragem da TV GloboPaulo César de Oliveira, comentarista de arbitragem da TV Globo - Foto: Reprodução/TV Globo

No dia seguinte ao jogo entre Fluminense x Corinthians, no último domingo, em que participou da equipe de transmissão da TV Globo, o ex-árbitro Paulo César de Oliveira abriu a caixa de comentários de uma foto postada em seu perfil do Instagram - em que estava ao lado dos companheiros de cabine - e leu uma mensagem que o chamava de "macaco sem vergonha". É a segunda vez que o comentarista é vítima de injúria racial. Em entrevista ao Globoesporte.com, revelou que vai tomar providências na delegacia especializada em crimes virtuais.

O usuário, atendido pelo nome de Gugu Berti, não apagou a postagem até a publicação desta matéria. De qualquer maneira, PC se resguardou e cumpriu o protocolo requisitado pela delegacia de São Paulo ao tirar o print do comentário. 

"Foi um comentário de um internauta, vi só na segunda-feira. Ontem (terça) fiz contato com a delegacia especializada em crime virtual em São Paulo e hoje como vou trabalhar lá, estou na estrada e vou registrar a ocorrência. Pediram pra salvar a URL do perfil, o print, e já fiz isso. Estou indo agora à tarde. O comentário ainda está na minha publicação, não respondi nada para não alardear, mas pedi orientação ontem e vou registrar. É inaceitável.", lamentou.

No comentário, o internauta se refere à opinião favorável do ex-juíz de campo para a decisão do árbitro Bráulio da Silva Machado assinalar pênalti contra o Corinthians, nos minutos finais da partida. "Nessa ação do Bruno Méndez, ele está com o braço muito levantado. Mesmo batendo no corpo antes, aquele braço acima da linha do ombro, numa posição antinatural, é pênalti. Houve mudança na orientação", explicou Paulo César de Oliveira na transmissão.

Outro episódio similar ocorreu ao ouvir palavras racistas proferidas pelo ex-jogador e falecido Carlos Alberto Oliveira, enquanto exercia a antiga função. 

"A primeira infelizmente foi com o falecido Carlos Alberto Torres. Ele era técnico do Paysandu, fiz um jogo entre Paysandu e Flamengo, ele me ofendeu, chamou de negro de merda. Teve uma repercussão muito grande, mas depois me pediu desculpas pessoalmente. Cheguei a processá-lo, mas com o pedido de desculpas abri mão do processo, perdoei, que a alma dele descanse em paz", contou. 

Veja também

Goleira do Náutico aposta em experiência para ajudar mais jovens
Futebol

Goleira do Náutico aposta em experiência para ajudar mais jovens

Leandro Barcia fica no Sport até o fim do Brasileiro
Futebol

Leandro Barcia fica no Sport até o fim do Brasileiro