A-A+

Ex-clube de Roberto Carlos e Eto'o está perto da falência

Anzhi Makhachkala ficou conhecido por contratar as estrelas em 2011, mas passa por um momento complicadíssimo

Roberto Carlos pode se tornar diretor de futebol profissional do clube de LisboaRoberto Carlos pode se tornar diretor de futebol profissional do clube de Lisboa - Foto: Reprodução/Instagram

O Anzhi Makhachkala, clube russo que ficou famoso mundialmente há alguns anos por contratar a peso de ouro jogadores de renome em fim de carreira como Roberto Carlos e Samuel Eto'o, está perto da falência, anunciou nesta terça-feira (23) o técnico Magomed Adiyev.

"O clube sofre, e esta palavra é amena demais. Ele está morrendo", afirmou o treinador, após uma nova derrota no Campeonato Russo contra o Akhmat Grozny (1x0), fazendo um apelo às autoridades para salvar da falência o clube do Daguestão, república no norte do Cáucaso russo.

Segundo a imprensa russa, o Anzhi tem uma dívida de 250 milhões de rublos (3,5 milhões de euros) e vem tendo dificuldades para encontrar patrocinadores, correndo o risco de perder sua licença profissional.

Na época propriedade do bilionário russo Souleïman Kerimov, atualmente investigado na França por fraude fiscal, o Anzhi ganhou renome mundial em 2011 quando contratou por verdadeiras fortunas o camaronês Samuel Eto'o e o brasileiro Roberto Carlos para uma equipe treinada pelo holandês Guus Hiddink."Isso não dá uma boa imagem do Daguestão, decretar falência sem um motivo sério. Um clube com tanta tradição, com tantos jogadores famosos...", completou o atual técnico do Anzhi.

Leia também:
Candidato do Sporting quer Roberto Carlos como dirigente
Sem pagar dívida por 2 anos, ex-técnico de Djokovic declara falência


A seis jogos para o fim do campeonato, o Anzhi é o atual 15º e penúltimo colocado. Na quarta-feira (24), enfrentará o CSKA, quarto.

Veja também

América-MG empata sem gols com São Paulo e deixa Z4
SÉRIE A

América-MG empata sem gols com São Paulo e deixa Z4

Sequência negativa não é novidade para o Sport na Série A
Sport

Sequência negativa não é novidade para o Sport na Série A