Ex-presidente do Fla é indiciado por mortes no Ninho do Urubu

Com ele, outras sete pessoas também foram indiciadas por homicídio doloso

Tragédia vitimou vários jogadores da base do FlamengoTragédia vitimou vários jogadores da base do Flamengo - Foto: Reprodução/Twitter

A Polícia Civil do Rio de Janeiro indiciou o ex-presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello, e outras sete pessoas por homicídio doloso pelas mortes de 10 atletas no incêndio que atingiu o Centro de Treinamento Ninho do Urubu, em fevereiro deste ano. Outros três atletas ficaram feridos no acidente. O inquérito, assinado pelo delegado Márcio Petra, também pede o indiciamento por dolo eventual de engenheiros do Flamengo e da empresa NHJ, responsável pelos contêineres onde ficavam os dormitórios, além de um técnico de refrigeração. Nos alojamentos atingidos pelo fogo moravam atletas com idades entre 14 e 17 anos, todos das categorias de base do clube rubro-negro. 

Leia também:
Sobreviventes de incêndio voltam aos treinos no Ninho do Urubu

Após 2 meses, vítima de incêndio no Ninho deixa hospital
Flamengo: funcionário cita curto-circuito antes de incêndio

Veja também

Eslovênia acusa comitê organizador do Mundial de Handebol de servir comida estragada
Handebol

Eslovênia acusa comitê organizador do Mundial de Handebol de servir comida estragada

Com 21% de chance de queda, Sport encara sequência que lhe deu apenas quatro pontos no 1º turno
Sport

Com 21% de chance de queda, Sport encara sequência que lhe deu apenas quatro pontos no 1º turno