Fenômeno francês, Kylian Mbappé iguala feito de Pelé

Aos 19 anos, Mbappé foi o primeiro adolescente a marcar duas vezes em uma partida de Mundial desde 1958

Mbappé, jovem e talentoso atacante da seleção francesaMbappé, jovem e talentoso atacante da seleção francesa - Foto: Franck Fife/AFP

Para quem ainda não conhecia e, no fim das contas, também para essas coisas serve a Copa do Mundo, Kylian Mbappé, de 19 anos, é o garoto prodígio do futebol mundial. O jogador apareceu na penúltima temporada europeia, com o Monaco, semifinalista da Champions League. Há um ano, foi vendido por 180 milhões de euros ao PSG - valor menor só do que o pago por Neymar.

A temporada em Paris não foi exatamente a da explosão. Essa só chegou na Copa do Mundo. Mas que explosão... Mbappé fez os dois gols que definiram a vitória francesa em cima da Argentina, quando o jogo estava empatado por 2x2, na cidade de Kazan. Ele foi o primeiro adolescente a marcar duas vezes em uma mesma partida desde 1958. E sabe quem foi o autor daqueles gols? Pelé, dois gols na final contra a Suécia - e, lembrando, ele já tinha marcado três na semifinais contra a França.

O jogo terminou 4x3 para a França e, talvez, o lance mais marcante do novo fenômeno tenha sido o que originou o primeiro gol francês, marcado por Griezmann. Era uma jogada de ataque da Argentina, aos 13 minutos do primeiro tempo. A bola foi recuperada e caiu nos pés de Mbappé, que acelerou por 64 metros, passou pela pesada e lenta defesa adversária e só foi derrubado por Rojo na área. Pênalti.

Leia também:

França elimina a Argentina na abertura das oitavas
Mbappé desencanta, França se classifica e elimina o Peru

A explosão lembrou demais as arrancadas de Ronaldo Nazário em seus primeiros anos como profissional, principalmente no PSV e no Barcelona, antes das sérias lesões. Se, no início, Mbappé era chamado de "novo Henry", agora as comparações passam a ser feitas com gente mais graúda. "Me lembra muito do Ronaldo da Olimpíada de 96, é este o nível dele", já havia dito Anelka, ex-atacante do Real Madrid e seleção francesa, ao jornal "L'Equipe".

A explosão e a aceleração não são as únicas facetas do jogo de Mbappé que geram as comparações com o Fenômeno. O prodígio francês tem muita habilidade, sabe driblar e, o principal, tem muito faro de gol. É verdade que o gol mais decisivo para a França talvez tenha sido o de Pavard, o golaço que empatou o jogo quando a Argentina havia tomado a dianteira e tinha um verdadeiro caldeirão formado nas arquibancadas de Kazan.

Mas, uma vez retomado o equilíbrio do jogo, brilhou Mbappé. Com dois gols bastante diferentes, mostrando a diversidade de seu jogo. No primeiro, após bola espirrada na área, mostrou oportunismo ao puxar a jogada para o lado e finalizar. No segundo, o desmarque característico de Ronaldo, que parecia nunca entrar em impedimento. Velocidade e frieza frente a frente com o goleiro.

Entre os jogadores do PSG, no entanto, o apelido não é nem Ronaldo, nem Henry. Mbappé é Donatello, por lembrar uma das quatro Tartarugas Ninjas. A velocidade dele em campo, porém, não tem nada que nos lembre a de uma tartaruga.

Pés no chão

Embora honrado com a comparação ao feito de Pelé e com os elogios recebidos após bela atuação, Mbappé mantém a serenidade. "É uma honra ser o segundo jogador depois de Pelé, mas vamos colocar em contexto: Pelé é de outra categoria. Mas é bom entrar nesta esfera de jogadores que marcam em jogos de mata-mata", afirmou Mbappé em coletiva de imprensa após o jogo.

Mbappé nasceu em 1998, ano em que a França conquistou o mundial pela primeira e única vez. "As pessoas se lembram mais da vitória na Copa do Mundo do que meu nascimento, é normal. É a única vez que fomos campeões do mundo, é um evento que marcou e vai marcar a história da França", disse.


Veja também

Brasil perde para EUA na semifinal da Copa América de Basquete
BASQUETE

Brasil perde para EUA na semifinal da Copa América de Basquete

Novo estatuto do Santa Cruz entra em vigor
Futebol

Novo estatuto do Santa Cruz entra em vigor