Fifa pede suspensão vitalícia do ex-presidente do Honduras

Em março, Rafael Callejas se declarou culpado de extorsão e conspiração para fins de fraude e crime organizado

TSETSE - Foto: TSE/divulgação

A comissão de ética da Fifa pediu para Rafael Callejas, ex-presidente da república de Honduras e também da federação de futebol do seu pais, seja banido para sempre do esporte, depois de se declarar culpado de corrupção diante da justiça americana. As investigações da comissão de investigação tiveram "foco em pagamentos supostamente ilegais que teria recebido de empresas de marketing esportivo", explica a entidade em um comunicado publicado nesta quarta-feira.

A Fifa reiterou, no entanto, que o dirigente ainda é beneficiado pela "presunção de inocência" até a decisão final da câmara de julgamento da comissão de ética. Callejas, de 72 anos, foi presidente do Honduras de 1990 a 1994 e membro da Comissão de marketing e televisão da Fifa.

Em março, o cartola se declarou culpado de extorsão e conspiração para fins de fraude e crime organizado, na investigação da justiça americana sobre o escândalo da Fifa, e aceitou pagar fiança de 650.000 dólares. O dirigente é acusado de ter recebido propinas em troca da atribuição dos direitos de transmissão das partidas da seleção hondurenha nas eliminatórias da Copa do Mundo de 2014, 2018 e 2022 a Media World, empresa baseada em Miami. A suspeita é de que tenha embolsado 1,6 milhão de dólares entre março de 2011 e janeiro de 2013.

Seu julgamento, inicialmente marcado para agosto, foi adiado para o dia 27 de janeiro de 2017.

Veja também

Sem Kleina no banco, Náutico recebe Cruzeiro pela Série B 2020
Futebol

Sem Kleina no banco, Náutico recebe Cruzeiro pela Série B 2020

Jair Ventura ressalta importância do tempo que teve para treinar o time
Futebol

Jair Ventura ressalta importância do tempo que teve para treinar o time