Fla é punido com portões fechados após briga no Maracanã

Clube rubro-negro terá dois jogos sem torcia na disputa da Copa Libertadores deste ano

Confusão aconteceu na final da Sul-AmericanaConfusão aconteceu na final da Sul-Americana - Foto: Reprodução/Twitter

A Conmebol anunciou a punição ao Flamengo por causa das brigas na final da Copa Sul-Americana, no dia 13 de dezembro, no Maracanã. A entidade sul-americana puniu o clube rubro-negro com dois jogos de portões fechados na disputa da Copa Libertadores deste ano.

Além disso, a Conmebol informou que aplicou uma multa de 300 mil dólares (R$ 951 mil) por conta dos incidentes na partida entre Flamengo e Independiente. O valor será debitado direto da verba dos contratos televisivos a que o Rubro-negro teria direito.

Ainda cabe recurso ao Flamengo sobre a decisão assinada por Juan Carlos Silva, Eduardo Gross Brown e Amarilis Belisario. O clube carioca tem até seis dias para apresentar sua nova defesa.

"Não gostamos, mas é uma decisão que a gente tem de respeitar. Faz parte do processo o recurso e vamos esgotar as instâncias que temos direitos. Não sei se é o caso de chegar ao CAS, porque o jogo é dia 28 de fevereiro. Vamos tentar resolver no âmbito da Conmebol mesmo. Se tiver de jogar com portões fechados, a solução natural é jogar na [Arena da] Ilha", comentou o presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello.

Com a decisão da Unidade de Disciplina da Conmebol, o Flamengo enfrentará o River Plate de portões fechados no dia 28 de fevereiro. O mesmo cenário se repetirá em 18 de abril, no duelo contra o integrante de seu grupo que virá da primeira fase (Macará, Deportivo Táchira, Santa Fé, Santiago Wanderes ou Melgar). Somente o duelo com o Emelec, na fase de grupos, terá a presença da torcida.

Veja também

Palmeiras anuncia contratação do técnico português Abel Ferreira
Futebol

Palmeiras anuncia contratação do técnico português Abel Ferreira

Sem casos no Sport, Jair se solidariza com Kleina e Martelotte, diagnosticados com Covid
Sport

Sem casos no Sport, Jair se solidariza com Kleina e Martelotte, diagnosticados com Covid