Flamengo negocia com Náutico dívida com relação a Thiago

Rubro-negro ainda não pagou a parcela de abril referente â compra do antigo prata da casa do Timbu

Thiago acertou transferência ao FlamengoThiago acertou transferência ao Flamengo - Foto: Léo Lemos/Náutico

O Flamengo está tentando um acordo com o Náutico sobre a dívida que o clube rubro-negro tem com o alvirrubro em relação à compra do atacante Thiago, no final do ano ano passado, após o prata da casa dos pernambucanos se destacar na temporada 2019 que culminou no acesso à Série B do Campeonato Brasileiro e título da Série C do Timbu. Os cariocas ainda não pagaram a parcela de abril, no valor de 250 mil euros (aproximadamente R$ 1,5 milhões de reais), e admitem dificuldade futura para desembolsar as demais parcelas de junho, agosto e outubro, na mesma quantia.

Uma das possibilidades levantadas era a de que o Flamengo gostaria de emprestar jogadores ao Náutico, pagando o salário dos atletas, para tentar abater o débito. O vice-presidente do Timbu, Diógenes Braga, disse que essa informação é "especulação", negando a sugestão dos cariocas. Vale lembrar que o dinheiro era esperado pelos pernambucanos para ajudar na manutenção dos gastos de abril. Neste mês, após acordo com os atletas, os alvirrubros acertaram a redução salarial de 25% do elenco e comissão técnica.

O Náutico pretende retornar aos treinos no dia 11 de maio, mas ainda aguarda a liberação do protocolo da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), sobre como proceder neste período, e do aval dos órgãos de saúde de Pernambuco, que já se posicionaram contra um retorno às atividades no próximo mês.

Leia também:
Náutico estuda volta aos treinos no dia 11 de maio
Médico do Náutico explica cuidados com o presidente, diagnosticado com Covid-19

Veja também

Darlan Romani chega perto de novo, mas não vai ao pódio no arremesso de peso
Jogos Olímpicos

Darlan Romani chega perto de novo, mas não vai ao pódio no arremesso de peso

Assim como no feminino, Brasil não vai à final do revezamento 4 x 100 m masculino
Jogos Olímpicos

Assim como no feminino, Brasil não vai à final do revezamento 4 x 100 m masculino