Fluminense derruba liminar e recupera contrato com Scarpa

O Palmeiras, clube que o meia defende atualmente, ainda toma conhecimento da ação para poder se pronunciar

Meia foi uma das maiores revelações do Fluminense nos últimos anosMeia foi uma das maiores revelações do Fluminense nos últimos anos - Foto: Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação

Após perder Gustavo Scarpa para o Palmeiras, o Fluminense conseguiu reverter a decisão que permitiu ao jogador se transferir para o Alviverde. Em decisão do Tribunal Regional do Trabalho do Rio de Janeiro (TRT-RJ), os advogados tricolores derrubaram a liminar que o desvinculava do clube das Laranjeiras.

Com a liminar sem validade, o vínculo com o Fluminense pode ser restabelecido. O clube agora estuda se solicita o retorno imediato de Scarpa ou se cobra a multa prevista em contrato. Há ainda uma possibilidade de negociação entre os clubes.

Leia também:
Scarpa nega má-fé e defende atletas que deixaram o Flu
Palmeiras fecha por cinco anos com Gustavo Scarpa
Scarpa obtém liminar e fica livre para mudar de clube
Juíza pede urgência em audiência entre Scarpa e Flu

O mérito do caso ainda vai ser julgado na primeira instância e pode liberar Scarpa. Ou o atleta pode recorrer ao Tribunal Superior do Trabalho (TST) para manter a liminar.

O clube tricolor, no fim da tarde desta quinta-feira, se pronunciou sobre o assunto. "O Fluminense obteve, nesta quinta-feira, a cassação da liminar em mandado de segurança concedida ao atleta Gustavo Scarpa no TRT do Rio de Janeiro. A decisão do colegiado reativa o vínculo do jogador com o clube. Com isso, o processo volta ao trâmite normal na 70ª Vara do TRT. O Fluminense reafirma que lutará até o fim pelos seus direitos", divulgou o clube tricolor.

Na ação movida por Scarpa, o Fluminense informou que a multa rescisória do atleta era de R$ 200 milhões. Esse seria o valor que ele teria de pagar por deixar o clube caso o Tricolor vencesse a ação.

O Palmeiras ainda toma conhecimento da ação para poder se pronunciar. Ao menos no aspecto financeiro, o clube se diz seguro por ter colocado uma cláusula no contrato que responsabiliza o jogador em caso de problemas na Justiça. Há advogados que questionam a validade dessa cláusula por entenderem que esta fere a Lei Pelé, que prevê que o clube que contratar um jogador é devedor solidário a ele.

O jogador teve atuação de destaque no fim de semana, na partida contra o Ituano, com dois gols. O bom desempenho, inclusive, o credenciou como possível titular para o jogo deste sábado, pelas quartas de final do Paulistão, contra o Novorizontino.

Veja também

Fernando Leite é o novo executivo de futebol do Náutico
Futebol

Fernando Leite é o novo executivo de futebol do Náutico

Alemanha volta a proibir presença de público em eventos esportivos
Covid-19

Alemanha volta a proibir presença de público em eventos esportivos