Foco, receita para esquecer crise e salários atrasados

Sem receber há mais de três meses, elenco tenta deixar de lado problemas financeiros do clube para evitar queda

Atletas corais celebrando o golAtletas corais celebrando o gol - Foto: Anderson Stevens/Folha de Pernambuco

A crise no Arruda está exposta desde o segundo semestre do ano passado. O elenco do Santa Cruz não recebe salários há mais de três meses. De acordo com informações colhidas pela reportagem da Folha Pernambuco, as folhas em aberto são junho (40%), julho, agosto e setembro, que venceu no dia 15 de outubro. Mesmo vivendo um momento angustiante, o lateral Nininho garante que o grupo procura deixar de lado os problemas financeiros ao entrar em campo.

“Passamos por um dos momentos difíceis do clube. Mas a gente procura esquecer tudo isso (atrasos salariais) quando estamos atuando. Sabemos que a diretoria está correndo atrás para minimizar essas dívidas”, declarou o lateral direito coral, que demonstrou confiar no empenho da direção coral para saldar pelo menos parte dos débitos.

Leia também: 

Sincero, Grafite expõe caos e repete o que fez em 2016

Série de tropeços no Arruda força Santa a vencer fora 

Nas coletivas de imprensa, o próprio técnico Marcelo Martelotte e os jogadores dizem que o ambiente é leve e de união no dia a dia. Porém, a realidade é dura e a falta de perspectiva gera, consequentemente, um incômodo. Cientes da situação sofrível fora das quatro linhas e com o clima pesado nos bastidores, os atletas tentam não perder o foco na reta final da Série B para salvar o clube do rebaixamento à Série C.

Veja também

Acompanhe todos os lances de Sport x Bahia, pela Série A do Campeonato Brasileiro
Série A

Acompanhe todos os lances de Sport x Bahia, pela Série A do Campeonato Brasileiro

Com um a mais, Náutico empata com Cruzeiro e garante permanência na Série B
Série B

Com um a mais, Náutico empata com Cruzeiro e garante permanência na Série B