Futebol

“G7” avalia volta do Pernambucano

Com retorno programado para o dia 19 de julho, clubes do interior, além do Retrô, tentam superar as dificuldades para retornar ao Estadual

Lances de Central x Santa CruzLances de Central x Santa Cruz - Foto: Rafael Melo/Santa Cruz

Leia também

• À espera de liberação, FPF divulga protocolo para volta ao futebol

• Governo terá reunião com FPF para discutir volta do futebol

• Disputa por espaço: presidente da FPF sugere mais de uma partida por dia entre Nordestão e Estadual

Com a definição do retorno do Campeonato Pernambucano 2020 a partir do dia 19 de julho, os clubes do chamado “G7” do estado entram na reta decisiva de preparação na retomada dos jogos de futebol. Em contextos distintos em comparação com o Trio de Ferro da Capital (Náutico, Santa Cruz e Sport) e entre si, já que nem todos conseguiram iniciar as atividades no mesmo período ou tiveram o mesmo grau de obstáculos durante os quatro meses de paralisação do torneio, as equipes regressam à última rodada primeira fase visando um horizonte mais promissor na saúde e no esporte.

Retrô (3º, com 12 pontos)

O Retrô foi o único clube fora dos grandes da capital que também retornou aos trabalhos logo na primeira semana pós-liberação dos treinos presenciais, concedida pelo Governo do Estado. 

“Esperávamos o retorno um pouco antes, mas que bom que voltou agora. Estamos treinando com todos do elenco desde o dia 18 de junho, preparando bem a parte física. A nossa meta é continuar em terceiro na tabela e, para isso, precisamos vencer o Petrolina (8º). Eles devem jogar com uma equipe jovem, sem responsabilidade, e não será tão fácil quanto parece”, avaliou o diretor de futebol do clube, Gustavo Jordão. A Fênix testou todos os atletas na reapresentação e 19 deles testaram positivos - todos já curados da doença.

Petrolina (8º, com sete pontos)

O Petrolina mandou nesta sexta (10) a relação de atletas que disputarão o Pernambucano. "Vamos compor o time com os garotos da base, pegar uns quatro, cinco jogadores da cidade e correr atrás de mais um ou dois. Nossa condição financeira é complicada. O treinador será William Lima, que estava no sub-20", afirmou o presidente do clube, Jeferson Oliveira. A equipe, inclusive, sequer iniciou os treinamentos, mas tem previsão de retomar os trabalhos na próxima semana.

Afogados (6º, com 10 pontos)

Com um jogo decisivo diante do Vitória, o Afogados, grande sensação de Pernambuco na temporada, ao eliminar o Atlético/MG na Copa do Brasil, voltou a treinar desde o dia 3 de julho, após fazer a testagem contra a Covid-19 no elenco. O presidente do clube, João Nogueira, comemorou o fato de o Estadual voltar nesta reta final.

"Se a competição demorasse mais para voltar, seria pior porque teríamos que pagar a folha de um mês (julho) sem ter jogo ou patrocínio. Tínhamos um pouco de gordura, mas já estava complicado. Cheguei a fazer um contrato de 90 dias com os atletas, mas isso foi porque tínhamos a disputa da Série D. Se fosse apenas o Pernambucano, seria um de 30 dias, que a Medida Provisória permite. Estamos na mesma situação do Central (com 10 pontos) e precisamos vencer nosso jogo. Acredito que temos um elenco forte, que foi reforçado com a chegada do Júnior Mandacaru (atacante), além de outros bons nomes que já estavam, como nosso paredão Wallef (goleiro)", apontou o presidente do clube, João Nogueira.

Central (7º, com 10 pontos)

O Central voltou aos treinamentos desde o dia 3 de julho. Dois dias antes, o clube realizou a testagem contra a Covid-19. Nove jogadores testaram positivo, mas já estão recuperados. O clube também fechou a contratação  volante Gustavo Henrique, de 28 anos, com passagem pelo Náutico.

De acordo com o vice-presidente do clube, Warley Santos, o Central aprovou o retorno no dia 19 de julho, citando ainda a decisão do Governo e da Federação Pernambucana de Futebol (FPF) de colocar as finais na Arena de Pernambuco. "É um campo neutro para todos. Sabemos da qualidade da Arena. Como não vai ter público, acho que não terá problema de alguém (da capital) ter vantagem", explicou. 

Vitória (10º, com dois pontos)

Sem chances de classificação à próxima fase, o Vitória já pensa no quadrangular do rebaixamento, com foco em evitar a queda à Série A2. "Acho que esse era o momento certo para voltar. Tivemos oito testes positivos, mas todos com anticorpos, então a gente conseguiu dar seguimento ao trabalho. Trouxemos o técnico Sérgio China e estamos focados em evitar o rebaixamento", afirmou o diretor de futebol do clube, Paulo Roberto. A equipe, inclusive, só voltou aos treinamentos na última quinta (9).

Decisão (9°, com quatro pontos)

Assim como o Vitória, o Decisão não possui chances de avançar ao mata-mata, restando também a briga contra o rebaixamento. O clube voltou aos trabalhos apenas na última quarta-feira (8). "Sabemos que o momento continua complicado, mas precisávamos voltar. Conseguimos contratar os jogadores que tínhamos liberado antes e agora vamos tentar aprimorar o time para conseguir se manter na primeira divisão do Pernambucano", afirmou o presidente do time de Bonito, Epitácio Andrade.

Salgueiro (2º, com 16 pontos)

Já classificado para a semifinal, o Salgueiro comemorou o fato de poder jogar em seu estádio na última partida da primeira fase, contra o Náutico, e no mata-mata que antecede à decisão do Estadual, contra adversário que será definido após as quartas de final. "Isso foi um fator bom. Estamos focados nesse jogo do dia 19 e depois na semifinal. Se passarmos, nós vamos torcer para que o cenário esteja melhor envolvendo a pandemia no estado para, quem sabe, conseguir disputar uma das partidas da final no Cornélio de Barros", frisou o presidente do Carcará, José Guilherme.

Veja também

Resguardado, Santa Cruz não perde em jogos pelo Estadual no Arruda desde 2017
Santa Cruz

Resguardado, Santa Cruz não perde em jogos pelo Estadual no Arruda desde 2017

Budenholzer e Donovan dividem prêmio de Técnico do Ano da NBA
NBA

Budenholzer e Donovan dividem prêmio de Técnico do Ano da NBA