Goiano ressalta empenho dos atletas da base em vitória

Resultado diante do Salgueiro, nos Aflitos, colocou o Náutico na liderança do Pernambucano, com 15 pontos

Thiago, atacante do NáuticoThiago, atacante do Náutico - Foto: Léo Malafaia/Folha de Pernambuco

No apagar das luzes, o Náutico bateu o Salgueiro por 1x0, nos Aflitos, no Campeonato Pernambucano. Resultado que colocou o clube na liderança do torneio, com 15 pontos. Foi o nono jogo seguido dos alvirrubros sem derrotas na temporada. Sobre o duelo, o técnico Márcio Goiano ressaltou a importância do comportamento da equipe, especialmente dos mais novos, na luta pelo triunfo até os minutos finais – recompensada com o gol de Josa.

“O jogo em si teve um volume bom. Tivemos tranquilidade com algumas estratégias de contra-ataque. Era um jogo muito importante para gente porque o Salgueiro sempre briga por títulos também. Ficamos felizes. Analisando volume de jogo e oportunidades criadas, foi melhor até do que outros jogos. Ficamos felizes pela garotada também porque existe uma pressão grande. Fiquei feliz com a forma que eles se comportaram nos 90 minutos”, afirmou.

Mesmo com a longa sequência de invencibilidade, Goiano tem sofrido com a cobrança da torcida. No jogo desta quarta (27), um cartaz pedindo sua saída foi visto perto de uma bandeira de escanteio. Parte dos alvirrubros também criticou o treinador por contas das mudanças realizadas durante o confronto.

“Torcedor vem a campo com a esperança da vitória. Logico que se você faz um jogo e gol não acontece, alguns vão entender e outros não. Mas os atletas não sentiram (a pressão) em momento algum. Isso mostra crescimento. Independente da idade, essa é a hora de assumir responsabilidade. Fico feliz que os mais novos mostraram que tem capacidade”, frisou.

Leia também:
Com gol no fim, Náutico vence e assume liderança do PE

Veja também

Kevyn testa positivo para Covid-19 e desfalca Náutico
Futebol

Kevyn testa positivo para Covid-19 e desfalca Náutico

Casagrande critica omissão da CBF e Bolsonaro: 'Governo da morte, não da vida'
Opinião

Casagrande critica omissão da CBF e Bolsonaro: 'Governo da morte, não da vida'