Goleiro omite morte de bebê para jogar na Liga do Iraque

Atleta do Naft Misan, Alaa Ahmad, de 21 anos, perdeu a filha de cinco dias após complicações no pós-parto

O goleiro do Naft Misan, clube da liga iraquiana, escondeu a morte de seu bebê de seus colegas para não ser excluído de uma partida contra o Al-Shorta, um dos times mais populares do país.

"Horas antes do jogo, minha filha de cinco dias faleceu como consequência de complicações pós-parto", disse, neste sábado (17), à AFP, o goleiro de 21 anos Alaa Ahmad.

"Pedi a minha família que não divulgasse a informação. Guardei-a para mim e não disse nada a meus colegas nem ao meu treinador porque tinha certeza de que teriam negado que eu jogasse na partida", explicou.

"Queria demonstrar a eles do que sou capaz", acrescentou Alaa Ahmad, que esperava com impaciência o jogo contra a popular equipe de Bagdá, que conta com uma grande quantidade de jogadores internacionais na seleção nacional.

A partida terminou empatada e o jovem goleiro começou a chorar após o apito final, despertando a curiosidade de seus colegas, que não entenderam a reação ante um resultado que consideravam positivo.

Alaa Ahmad revelou então o ocorrido e a notícia se espalhou rapidamente através das redes sociais, com um grande número de mensagens de apoio e empatia para o goleiro.

Veja também

EUA e Reino Unido denunciam Rússia por ciberataques contra Olimpíada
Jogos de Tóquio

EUA e Reino Unido denunciam Rússia por ciberataques contra Olimpíada

Entenda o que está em jogo na última rodada dos grupos da Libertadores
Futebol

Entenda o que está em jogo na última rodada dos grupos da Libertadores