GP Brasil é colecionador de histórias

Grande Prêmio de Fórmula 1 de Interlagos já foi palco de triunfos marcantes e também de despedidas

Lula escreveu carta dentro da Superintendência da Polícia Federal, em CuritibaLula escreveu carta dentro da Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba - Foto: Divulgação

 

No percurso de 4.309 quilômetros do Circuito de Interlagos, em São Paulo, muitas histórias já foram contadas. Desde triunfos, como os de Airton Senna, até despedidas, como a do alemão Michael Schuma­cher, em 2006. E mais algumas serão escritas neste domin­­go, nas 71 voltas do GP do Bra­sil que vale o título da Fór­mula 1 2016. Com 349 pon­­tos, o alemão Nico Rosberg, da Mercedes, pode ser campeão de forma anteci­pa­da.

Basta vencer a pro­va. Mas seu companheiro de equipe e segundo colocado na classificação geral, o inglês Lewis Hamilton (330 pon­­tos), tentará colocar água no champagne de Nico e levar a decisão para a corrida final, no dia 27 de novembro, em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes.

Desde que saiu do início para o fim do calendário da Fórmula 1, o GP do Brasil foi palco da ratificação de seis títulos. Em 2005, o espanhol Fernando Alonso terminou na terceira posição da prova, mas assegurou o troféu da temporada, batendo o piloto da McLaren, Kimi Räikkönen. No ano seguinte, foi novamente no País que Alonso foi campeão, terminando a corrida em segundo. Em 2007, Räikkönen recolocou a Ferrari no topo e, de quebra, deu o troco no espanhol que havia tirado sua conquista dois anos antes.

O ano de 2008 por pouco não entrou para história com um brasileiro comemorando em casa o título da Fórmula 1. Felipe Massa, na época da Ferrari, chegou a vencer no Circuito de Interlagos, mas o inglês Lewis Hamilton, na última curva, obteve o quinto lugar, tirando o troféu de mãos brasileiras. Na pouco expressiva Brawn GP, Jenson Button comemorou em Interlagos o título de 2009 da competição. Três anos depois, o alemão Sebastian Vettel chegou ao tricampeonato após ficar 34 pontos atrás de Alonso, o então líder da temporada. O sexto lugar foi suficiente para desbancar o rival e comemorar o feito.

Despedida
Perto de encerrar a carreira, no final do ano, Felipe Massa disputará seu último GP do Bra­sil. Na corrida, o brasileiro usará um carro especial da Williams. Na logomarca da pa­­trocinadora Martini, em vez do nome da empresa de be­bidas estará escrito “Mas­sa”. Na asa traseira, um “obrigado” marcará a despedida dele do circuito de São Paulo.

“É sem dúvida um dos mais talentosos pilotos do grid, mas também é uma grande pes­soa fora da pista. É alguém que você olha e sorri. Nós vamos sentir falta. Esse é o fim de semana dele”, disse o piloto da Ferrari, Sebastian Vettel. “Foi fantástico compe­tir com Massa. An­tes da Fórmula 1, já éramos muito amigos na GP2. Ter todas as dispu­tas que tivemos como 2008 é um privilé­gio. É algo que recordarei pa­ra sempre. Daqui alguns anos nós vamos lembrar esses momentos. É um objetivo ganhar aqui (Brasil) pela primei­ra vez. É algo que Mas­sa e Rosberg já fizeram”, analisou Lewis Hamilton.

 

Veja também

Zagueiro do Sport, Victor Gabriel é convocado para a seleção sub-17
Futebol

Zagueiro do Sport, Victor Gabriel é convocado para a seleção sub-17

Prestes a completar 80 anos, Pelé é retratado em mural de Kobra em Santos
Futebol

Pelé é retratado em mural de Kobra em Santos