Grafite desencanta e encerra maior jejum de gols da sua carreira

Atacante não marcava desde a época do Atlético/PR e a seca era de mais de seis meses

Camisa 23 comemorando o golCamisa 23 comemorando o gol - Foto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco

Após reestreia apagada no Santa Cruz, Grafite melhorou seu rendimento no reencontro com a torcida no estádio do Arruda. Autor do gol na derrota para o CRB/AL por 2x1, no último sábado, o atacante ficou chateado com mais um revés, mas, por outro lado, comemorou o fim de um jejum pessoal. O camisa 23 voltou a balançar as redes após mais de seis meses e encerrou a maior seca de gols da carreira.

A última vez que o centroavante havia fuzilado o gol foi em sua estreia pelo Atlético/PR, contra o Millonarios, da Colômbia, no dia 1 de fevereiro deste ano, pela segunda fase da Libertadores da América. De lá pra cá, foram 24 jogos em branco, sendo apenas um com a camisa coral.

Ao ser apresentado na Cobra Coral, o centroavante 38 anos preferiu não estabelecer uma meta de gols. Isso porque ele prometeu fazer 30 tentos no Furacão, marcou só um e recebeu pressão e críticas após gerar expectativa na torcida paranaense.

O dia parecia ser perfeito para Grafite, que voltou a sentir a emoção de carimbar as redes do Arruda ao acertar uma bela cabeçada, mas a virada dos alagoanos manchou o cenário que foi de festa até o fim do primeiro tempo. Logo após o tropeço dentro de casa, ele reclamou da oscilação da equipe e cobrou estabilidade nos próximos jogos do Campeonato Brasileiro da Série B.

“Alternamos nos dois momentos dos jogos. Não conseguimos ter consistência durante as partidas, passando por bons e maus momentos. Vamos trabalhar para melhorar, tentar um maior equilíbrio, estamos nos comprometendo muito. Precisamos colocar a cabeça no lugar e achar soluções rapidamente”, declarou.

NÚMEROS

O experiente jogador já ultrapassou a marca de 50 gols pelo Santa. Ao todo, são 53 pelo clube – quatro em 2001, 11 no ano seguinte, 37 nas temporadas 2015-2016 e um este ano.

Veja também

Internacional vence sexta seguida e fica a um ponto do líder São Paulo
Campeonato Brasileiro

Internacional vence sexta seguida e fica a um ponto do líder São Paulo

Presença de atletas formados na base cresce 25% em Brasileiro na pandemia
Futebol

Presença de atletas formados na base cresce 25% em Brasileiro na pandemia