Grafite não descarta redução salarial para ficar no Santa em 2017

Atacante ainda declarou que pretende encerrar a carreira no clube e, até, trabalhar como dirigente coral no futuro

Dilson Peixoto (PT)Dilson Peixoto (PT) - Foto: Arquivo Folha

Ao declarar que pretende reduzir a folha salarial do elenco para a temporada 2017, o Santa Cruz, ainda que de forma indireta, colocou uma ponta de dúvida sobre a permanência do atacante Grafite. Com contrato até o final do ano que vem, o jogador tem um vencimento que ultrapassaria os valores que o clube teria condição de pagar. Ciente do momento conturbado, Grafite revelou que segue como o futuro incerto. Porém, deixou claro que, se for necessário, aceita até reduzir seu salário para não deixar o clube. Ainda ressaltou: tem como objetivo encerrar a carreira no Tricolor. Confira trechos da entrevista do atleta nesta segunda (14).

REDUÇÃO DA FOLHA

Concordo, até pela situação atual do clube. Não adianta manter a maioria dos jogadores com folha de Primeira Divisão e não ficar nela. Sabemos que estamos próximos de uma queda iminente e essa adequação é normal. Os valores que serão passados para o clube no ano que vem serão menores do que o deste ano.

PERMANÊNCIA

Não fui procurado ainda. Tive uma conversa com o Alírio (Moraes, presidente) e ele falou que está esperando o planejamento para o ano que vem, para saber quem interessa ou não. Tudo que for feito para melhorar o clube é válido. Cabe aos jogadores se adequar ao momento. Quero ficar, senão não teria renovado até o final de 2017, independente de o time estar na Primeira Divisão ou não. Quero jogar mais um ano, mas tudo vai depender da situação do clube. Minha intenção nunca foi tirar dinheiro do clube. Venho conversando com o Alírio e ele sempre me deixou bem, dizendo que não colocaria empecilho se aparecesse uma proposta boa para sair. Minha vontade é de permanecer, mas vai depender do planejamento do clube.

SONDAGENS

Tenho uma multa rescisória, com um valor para propostas do exterior e outro para clubes nacionais. O Santa precisa fazer caixa e no caso do Keno (foi para o Palmeiras) e do João Paulo (pode fechar com um clube de Série A) é natural. O presidente não queria perder esses jogadores, mas eles têm um mercado grande que pode render dinheiro ao clube. Não recebi proposta oficial, apenas sondagens. Sempre deixei claro que gostaria de ficar no Santa, mas se aparecer algo e o clube achar que eu devo aceitar, por mim tudo bem. Quero o bem do clube. Não quero ficar para dizerem que estou tirando dinheiro do clube.

ENCERRAR CARREIRA

Quando voltei, disse que tinha em mente encerrar a carreira no Santa. Quero jogar mais um ano e tenho esse pensamento ainda. Difícil falar do dia de amanhã, por conta do que acontece no clube, mas o pensamento é de terminar minha carreira por aqui.

FUTURO DIRIGENTE CORAL?

Já penso sobre isso. Quero continuar no meio do futebol. Algumas pessoas dizem que tenho perfil de treinador, mas não acho. Não conseguiria lidar com um vestiário. Mas vou continuar no futebol, quem sabe ajudando o clube como dirigente ou diretor de futebol. Tenho algumas ideias que posso implantar aqui, mas primeiro precisa me capacitar para ajudar o clube.

Veja também

São Paulo tem decisão contra Fortaleza de Rogério Ceni
Futebol

São Paulo tem decisão contra Fortaleza de Rogério Ceni

Lewis Hamilton conquista pole position no GP de Portugal
Fórmula 1

Lewis Hamilton conquista pole position no GP de Portugal