Greve no Arruda continua por tempo indeterminado

Mesmo com promessa de vale do Santa, funcionários garantem que não aceitarão voltar ao trabalho sem que os salários sejam pagos

Ministro Mendonça Filho fez o anuncio no município de Palmares, na Mata SulMinistro Mendonça Filho fez o anuncio no município de Palmares, na Mata Sul - Foto: Divulgação

*Com informações do repórter Paulo Henrique Tavares

A greve no Arruda não vai acabar. Após o Santa Cruz informar que iria distribuir vales-compras no valor de R$ 500 para os profissionais que recebem os menores salários da folha de pagamento (cerca de R$ 400 reais) como paliativo devido o atraso de cinco meses de salário, os funcionários destacaram que só voltarão ao trabalho após a quitação dos débitos.

"Não vamos receber esse vale porque a gente está com tudo parado há cinco meses. E a greve vai continuar. Nem eles deram prazo e nem nós vamos voltar a trabalhar", informou um funcionário que não quis se identificar.

Os funcionarão iniciaram a paralisação na manhã desta quinta (20) e, horas depois, foi a vez de outro problema surgir no Arruda: o pedido de demissão do técnico Doriva.

“Eu sofro junto com eles porque eu conheço muitos (funcionários). Algumas situações não foram concretizadas, como patrocínios, fornecedor de camisa, bloqueios sucessivos... Tudo atrapalhou, mas eu confio nas pessoas e sei que isso vai ser resolvido. Certamente é uma maré que vai passar", indicou o vice-presidente do clube, Constantino Júnior, em entrevista coletiva concedida nesta quinta (20), no Arruda.

Veja também

Náutico confirma contratação do meia Marcos Vinícius
Futebol

Náutico confirma contratação do meia Marcos Vinícius

Defesa de Carol Solberg recorrerá de advertência por 'fora, Bolsonaro'
Manifestação

Defesa de Carol Solberg recorrerá de advertência por 'fora, Bolsonaro'