Haas fecha as portas para Pietro Fittipaldi em 2020

Em busca de piloto experiente, equipe não deve dar chances para estreia do piloto brasileiro na Fórmula 1

Pietro Fittipaldi, brasileiro piloto de testes da HaasPietro Fittipaldi, brasileiro piloto de testes da Haas - Foto: Haas F1 Team

O brasileiro Pietro Fittipaldi é atualmente piloto de testes da Haas e busca completar os pontos que precisa para obter a superlicença, espécie de carteira de motorista para pilotos de Fórmula 1, e se colocar na briga por uma vaga como titular para o ano que vem na categoria.

No entanto, o chefe da Haas, Guenther Steiner, deixou claro que o time busca pilotos experientes para a próxima temporada, indicando pelo menos que a vaga no time norte-americano está fechada para o piloto de 23 anos.

A explicação é simples: a Haas é a equipe mais jovem do grid e vem tendo dificuldades em atrair profissionais experientes em várias áreas. O resultado está sendo visto na pista: mesmo tendo uma boa base, o time tem dificuldades em entender os altos e baixos do carro, e inclusive teve de voltar a usar o equipamento da primeira etapa do ano, sem as novas peças que deveriam ter seu desempenho melhorado ao longo da temporada. Não por acaso, estão em penúltimo no campeonato.

Além do carro, os pilotos são outro problema da equipe, já que os companheiros Kevin Magnussen e Romain Grosjean colidiram entre si em três oportunidades nesta temporada. O dinamarquês tem acordo válido até o fim de 2020 e acredita que o compromisso será respeitado. Já a saída do francês é dada como certa.

Steiner, contudo, disse querer um piloto experiente para a vaga. "Precisa ser algo por mais que um ano. E não queremos ser um campo de treinamento", afirmou o chefe da Haas.

"Neste ano, a McLaren arriscou com um estreante e Lando Norris foi muito bem. Mas poderia ter dado errado. É uma opção, mas de alto risco. Nós poderíamos fazer isso, a questão é se queremos. Se tivéssemos um estreante no carro neste ano, não teria nos ajudado a nos encontrar com os pneus", explicou.

Magnussen, no entanto, disse que apoia a presença de Fittipaldi nos treinos livres neste ano, algo que não é descartado por Steiner. "Seria positivo, porque é ele quem está desenvolvendo o simulador, então poderia ser uma boa forma de termos uma correlação".

Apesar das boas chances de conseguir pelo menos andar em sessões de treinos livres pela Haas, ainda não há a confirmação de quando isso seria possível para Fittipaldi. Steiner já avisou que isso aconteceria na parte final do campeonato, justamente pelos problemas atuais da equipe em se entender com o carro.

A Haas não é a única equipe que deve ter uma vaga aberta ano que vem. Como se espera que Esteban Ocon seja confirmado na Renault e Valtteri Bottas, na Mercedes, a principal opção seria na Toro Rosso. Mas até o momento apenas a McLaren confirmou seus pilotos para 2020, ainda que algumas duplas, como a da Ferrari, estejam sob contrato. Depois de uma pausa de três semanas, a Fórmula 1 volta neste domingo (1) com o GP da Bélgica.

Veja também

Messi marca na estreia do Barcelona no Campeonato Espanhol
Campeonato Espanhol

Messi marca na estreia do Barcelona no Campeonato Espanhol

Cristiano Ronaldo marca duas vezes no empate entre Juve e Roma pelo Italiano
Campeonato Italiano

Cristiano Ronaldo marca duas vezes no empate entre Juve e Roma pelo Italiano