Náutico

Hélio dos Anjos minimiza queda de rendimento no segundo tempo e dispara: ‘Clássico se ganha’

Treinador do Náutico atribuiu queda de rendimento a condições adversas no jogo

Hélio dos Anjos, técnico do NáuticoHélio dos Anjos, técnico do Náutico - Foto: Tiago Caldas/CNC

Leia também

• Náutico anuncia retorno de Paiva e chegada de Jorge Colmán

• Ex-Náutico e Sport, Pedro Carmona anuncia aposentadoria aos 33 anos

• Náutico bate o Santa Cruz nos Aflitos e segue com 100% de aproveitamento na temporada

Uma vitória em clássico que garante um aproveitamento de 100% na temporada. Para o Náutico, a vitória contra o Santa Cruz nos Aflitos - em partida válida pelo Campeonato Pernambucano - significou a consolidação de um início de temporada animador. Neste domingo (18), após ter construído a vitória ainda na primeira etapa, o Timbu diminuiu o ritmo no segundo tempo e viu o Santa crescer em campo. No entanto, para o técnico Hélio dos Anjos, fatores como o gramado ruim e a melhora no desempenho do adversário justificam a mudança no panorama da partida. 

Elogiando o Santa Cruz, o treinador alvirrubro afirmou que, com o "campo pesado e adversário fazendo ligações diretas", o jogo teve um novo pano de fundo a partir da segunda etapa, mas discordou que houve uma queda de rendimento no setor defensivo. "Muitas vezes o mérito do adversário sobrepõe a qualidade da defesa. Hoje nossa defesa foi muito forte diante do estilo de jogo proposto pelo Santa Cruz, de corpo a corpo, de ligação direta e segunda bola. No fim do jogo, nosso setor defensivo se sobrepôs ao ataque adversário", avaliou Hélio. 

Reiterando as críticas ao gramado dos Aflitos, Hélio também destacou a capacidade da equipe de “ser letal”. "No segundo tempo tivemos que jogar de uma forma diferente, sendo um time forte, capaz de defender bem. Erramos no gol, não houve um posicionamento que poderia ser com uma linha mais alta, para jogar um atleta para o impedimento. E nós passamos a sofrer em função de um campo’, comentou. 

 

Ao comentar o desempenho da equipe, o técnico minimizou uma suposta queda de produção e afirmou que o time continuou sendo competitivo diante das circunstâncias da partida. Citando a Arena de Pernambuco, Hélio afirmou que “queria que [a partida] fosse em um campo bom”.

O treinador também comentou a ausência de Erick, vetado pelo departamento médico do clube por ter relatado uma febre antes da partida. Hélio, no entanto, não lamentou a ausência do atacante e destacou que a “ausência de um jogador não pode fazer falta”. "Seria um campo muito difícil para o jogo de Erick, que é um jogador leve, condutor, de drible. Nós tivemos que optar por Bryan que tem muita qualidade no setor e é um jogador de mais força em relação a Erick, ainda assim, ele teve dificuldades”, disse o técnico alvirrubro. 

Forte nos Aflitos
Questionado sobre o bom desempenho do Náutico nos Aflitos, que se repete mesmo com as arquibancadas vazias, Hélio dos Anjos afirmou que há uma relação direta entre o estádio e o sistema de jogo adotado pela equipe sob seu comando. "Em qualquer competição, é preciso fazer prevalecer o mando de campo. Nosso modelo de jogo tem uma influência muito grande dos Aflitos; se eu tenho minha torcida aqui hoje, esse modelo de jogo seria mais contundente, mais forte. Com o torcedor ativo, a inspiração do jogador aumentaria ainda mais”. 

“A gente procura criar uma situação para fazer com que o adversário sinta que estamos jogando em casa”, finalizou o treinador, destacando uma intensidade imposta pelo time na primeira etapa do Clássico das Emoções.

Veja também

Djokovic e Nadal decidem o Torneio de Roma neste domingo (16)
Tênis

Djokovic e Nadal decidem o Torneio de Roma neste domingo (16)

Copa do Mundo de Paracanoagem: Cowboy leva mais um ouro e dupla feminina vai para Tóquio
Olimpíadas

Copa do Mundo de Paracanoagem: Cowboy leva mais um ouro e dupla feminina vai para Tóquio