Henry tem missão de ressuscitar Monaco no Francês

Longe do Campeonato Francês há 20 anos, Henry terá a dura missão de livrar o Monaco da zona de rebaixamento

Thierry Henry, ex-técnico do Monaco Thierry Henry, ex-técnico do Monaco  - Foto: Divulgação/Monaco

A lenda do futebol francês Thierry Henry volta à Ligue 1 quase duas décadas depois para comandar o Monaco, que encara sérias dificuldades na 18ª colocação e tenta retomar o rumo contra o Strasbourg (9º), no sábado, pela 10ª rodada.

Henry, 41 anos, foi auxiliar técnico da Bélgica na Copa do Mundo da Rússia e assinou contrato até 2021 com o clube que o revelou (1993-1999).

"É preciso tentar recuperar uma certa alegria, segurança, evitar gols. Para mim, treinar significa tornar as pessoas melhores e mais importantes", indicou Henry sobre o grupo que há pouco mais de um ano levantou o título da competição.

O time do Principado está há 10 jogos seguidos sem vencer, com quatro derrotas nos últimos confrontos. O Monaco está a 21 pontos do líder Paris Saint-Germain, que quer ampliar seu recorde de vitórias consecutivas no início do campeonato.
Leia também:
Agora como técnico, Henry volta ao Monaco após 20 anos

Os comandados de Thomas Tuchel visitam o Amiens (13º) no sábado, um jogo especial para Neymar. O camisa 10 que vai se reencontrar com o companheiro de Santos Paulo Henrique Ganso.

Atrás do PSG, o primeiro perseguidor é o Lille, que está oito pontos atrás do líder e que encara o Dijon (16º) fora de casa. Três pontos atrás está o Olympique de Marselha (3º), que recebe o Nice (12º).

O Lyon (6º) tenta se recuperar da goleada sofrida para o PSG na última rodada. A equipe abre a rodada nesta sexta-feira em casa contra o Nimes (14º), mas não vai poder contar com o capitão Nabil Fekir, lesionado no Parque dos Príncipes.

Veja também

Internacional vence sexta seguida e fica a um ponto do líder São Paulo
Campeonato Brasileiro

Internacional vence sexta seguida e fica a um ponto do líder São Paulo

Presença de atletas formados na base cresce 25% em Brasileiro na pandemia
Futebol

Presença de atletas formados na base cresce 25% em Brasileiro na pandemia