Homem-forte de Andrés diz tentar aproximação com rival

A chapa de oposição de Paulo Garcia, candidato derrotado, acusou fraude em uma das urnas do pleito corintiano

Andrés Sanchez na eleição presidencial do CorinthiansAndrés Sanchez na eleição presidencial do Corinthians - Foto: Marcelo D. Sants/FramePhoto

Uma grave denúncia marcou a primeira semana do segundo mandato de Andrés Sanchez na presidência do Corinthians. A chapa de oposição de Paulo Garcia, candidato derrotado, acusou fraude em uma das urnas do pleito corintiano e entrou com uma ação na Justiça para abrir investigação. O questionamento sobre a idoneidade da vitória de Andrés incomodou a atual situação.

Presente no Camarote Bar Brahma, durante o primeiro dia de desfile das escolas de samba de São Paulo no Anhembi, Edu Ferreira, um dos homens-fortes de Andrés Sanchez e ex-diretor do clube, evitou se aprofundar no assunto e revelou que o grupo conversa com pessoas ligadas a Paulo Garcia, líder da chapa que acusa a fraude na eleição, para uma aproximação imediata.

"Paulo Garcia nos últimos anos vem colaborando muito a gestão do Corinthians. É natural que a gente esteja conversando e caminhe junto mais três anos. Sim, com o pessoal do Paulo Garcia tem rolado [conversas]. Quanto mais união, melhor para o Corinthians", discursou, em conversa com o UOL Esporte.

Edu Ferreira, que afirmou estar presente no ginásio durante toda a eleição, se defende a limpeza da eleição corintiana. "Fiquei surpreso para ser sincero. Estava lá dentro do ginásio e aparentemente não vi nada. Estive em reuniões anteriores, estivemos ali no dia da montagem da eleição. Não tenho muito o que falar, é aguardar", comentou.

O discurso de Ferreira se assemelha ao posicionamento da nova diretoria em relação às denúncias. Em nota divulgada na última quinta-feira, o clube de Parque São Jorge, sob a voz de Andrés Sánchez, lamentou que a eleição tenha ultrapassado as alamedas do clube.

"A atual diretoria do Corinthians lamenta a opção dos demais concorrentes em resistir ao resultado das urnas e à democracia que sempre foi tão cara à história do clube. A direção eleita continuará insistindo na união dos diferentes, visando o bem comum daqueles que desejam um Corinthians cada vez mais forte e informa que suas instalações estão à disposição da Justiça para eliminar quaisquer dúvidas sobre o pleito", comunicou o Corinthians já na segunda gestão de Andrés.

A eleição corintiana contou com cinco candidatos. Andrés Sanchez se tornou presidente pela segunda vez ao alcançar 33,9% dos votos. Paulo Garcia obteve 22,9%, contra 22% de Citadini. Felipe Ezabella marcou 12,7%. Romeu Tuma Júnior, 7,6%. O pleito durou oito horas e o resultado foi divulgado 20 minutos após o fim da votação.

Veja também

Revelação na reta final da Série B, Thassio faz avaliação positiva de temporadaFutebol

Revelação na reta final da Série B, Thassio faz avaliação positiva de temporada

Nadadora transexual enfrenta críticas ao quebrar recordes femininos após competir com homensEUA

Nadadora transexual enfrenta críticas ao quebrar recordes femininos