Futebol

Hugo vibra com boa fase, mas prega cautela sobre status de ídolo

Atacante marcou dois gols na vitória do Santa Cruz por 2x1, diante do Retrô, pela segunda fase da Série D do Campeonato Brasileiro

Hugo, atacante do Santa CruzHugo, atacante do Santa Cruz - Foto: Alexandre Aroeira/Folha de Pernambuco

Sete gols em nove jogos. Um que garantiu a classificação ao mata-mata da Série D do Campeonato Brasileiro e dois que asseguraram uma vaga do Santa Cruz nas oitavas de final. Artilheiro do time na competição, o atacante Hugo vive boa fase no clube. Além do desempenho em campo, o jogador também tem chamado atenção com frases fortes para motivar o elenco e a torcida coral. Combo que, em alguns casos, pode significar o início de uma construção de idolatria. O atleta, neste caso, abre uma exceção no perfil de declarações polêmicas e adota a cautela. 

"Para ser ídolo, falta muito. Tem que fazer como outros fizeram. Como Grafite, Dênis Marques e Caça-Rato. Conquistar títulos, conquistar acessos. Estou em busca de fazer minha história no Santa. Um passo de cada vez. O foco principal é subir o clube”, afirmou. 

Caso Hugo marque mais dois gols na Série D, ele fará do Santa Cruz um dos clubes em que mais balançou as redes na carreira, igualando o feito que alcançou em 2016, pelo Luverdense. Na ocasião, disputando a Série B, o atacante fez nove gols pela equipe de Lucas do Rio Verde. Se for observar o ano, o atleta fez 10, contando com um que anotou pelo Volta Redonda.

Considerando o recorte por média, a de Hugo do Santa já é a mais positiva. Os sete gols foram marcados em nove jogos, com uma frequência de 0,7 por partida. No Luverdense, ele fez nove em 26 compromissos (0,3).

O desempenho atual de Hugo, por exemplo, já superou os seis gols que o atleta marcou pelo Volta Redonda, em 2015, pelo Campeonato Carioca. Além disso, é mais do que o dobro do que o atacante anotou pela Ponte Preta, no Campeonato Paulista de 2019, quando fez três. Vale lembrar que, em 2013, o jogador vestiu outra camisa em Pernambuco, a do Náutico. Na ocasião, marcou apenas duas vezes em 18 partidas pela Série A.



Hugo balançou as redes na Série D nos jogos contra Sergipe (ida e volta da primeira fase), Atlético/BA, Juazeirense, Lagarto e Retrô. O jogador é o goleador coral da competição, com sete gols. Os atuais artilheiros da Série D são Franklin Mascote, da Fênix, eliminada pelo Tricolor, e Aleilson, do Trem, clube que não avançou ao mata-mata. Ou seja, nomes que já estão fora do torneio e podem ser ultrapassados.

O adversário do Santa Cruz na próxima fase da Série D é o Tocantinópolis. A equipe de Tocantins desclassificou o São Raimundo/AM, na segunda fase. Neste ano, o clube também ganhou os noticiários em Pernambuco ao eliminar o Náutico na primeira etapa da Copa do Brasil.

"A partir de hoje, o foco é total no Tocantinópolis. Conseguir uma vantagem (na ida, no Arruda) é sempre bom, mas na Série D, esquece: não vai ter vida fácil nunca. De qualquer forma, temos que ir bem lá (na volta) também. Convoco desde já o torcedor para nos apoiar. Nosso maior fator no jogo passado foi a torcida, que veio ao treinamento, deu moral. Eles fazem a diferença", pontuou. 

 

Veja também

Por falta de quórum, assembleia para mudança de estatuto do Náutico é adiada
Náutico

Por falta de quórum, assembleia para mudança de estatuto do Náutico é adiada

PM acusado da morte de lutador de jiu-jitsu se entrega
São Paulo

PM acusado da morte de lutador de jiu-jitsu se entrega