Incomodado com seca, Brocador mira fim do jejum

Atacante se diz inquieto com período sem balançar as redes, mas vê jogo contra o Paraná como oportunidade

Hernane substitui o lesionado Juninho. Hernane substitui o lesionado Juninho.  - Foto: Anderson Stevens

No futebol, não há outra verdade: está mais próximo da vitória aquele que consegue marcar gols. Essa lógica é simples, de fácil entendimento. Para o Sport, no entanto, não tem sido de fácil execução. Desde que o técnico Eduardo Baptista voltou ao clube, há três rodadas, nenhum gol foi anotado pelo Rubro-negro. Consequentemente, nada de vitórias - desempenho que aumentou para 11 jogos o jejum nesta Série A do Campeonato Brasileiro. Contratado como o responsável pelos gols leoninos, Hernane Brocador se disse incomodado por não ter conseguido desencantar. A expectativa, no entanto, é que essa espera acabe diante do Paraná, no próximo domingo.

Leia também:
Brocador é apresentado e promete protagonismo no Sport

Nos três jogos em que Eduardo Baptista comandou o Leão, Hernane esteve em campo como titular. Apesar de seu desempenho ainda não ter sido criticado pelo torcedor, o jogador se disse ciente da responsabilidade que carrega. “O centroavante que não tiver fazendo gols, e não ficar incomodado, está na posição errada. A gente sabe que atacante vive de gol. E comigo não é diferente. Eu cheguei no Sport num momento não muito bom. Mas vim pra ajudar. Então, estou incomodado, sim”, disse o jogador. “Mas o trabalho está sendo feito. Eduardo (Baptista) teve um período curto para treinar o time. Mas minha expectativa é que o primeiro gol já saia contra o Paraná”, completou.

A semana livre para trabalhos, no Centro de Treinamento José de Andrade Médicis, contou com a presença, em dias seguidos, de dirigentes do Sport. Inicialmente foi o presidente Arnaldo Barros, junto com parte da diretoria de futebol. Ontem, foi a vez do vice executivo Gustavo Dubeux. Tais visitas foram bem vistas pelos jogadores, que afirmaram ter ouvido palavras de apoio. “Desde que eu cheguei, vi um ambiente bom, onde os jogadores se dão muito bem. Acho que isso é difícil no futebol. Mas quando o resultado não vem, as pessoas começam a pensar que há algo errado. Mas a conversa foi motivacional, para falar que estamos juntos (jogadores e diretoria) nesse barco. Mas precisamos ganhar uma. A gente sabe que é só o Sport ganhar uma partida para as coisas mudarem”, disse.

Ontem, o técnico Eduardo Baptista comandou o primeiro treino tático da semana com todo o grupo à disposição. A posse de bola foi o principal foco. A única ausência da movimentação foi o centroavante Carlos Henrique. O jogador está envolvido em uma negociação entre o Leão e o Londrina pelo atacante Safira. Quem voltou a figurar no campo de treinamentos do Sport foi o lateral-direito Raul Prata. Ele está em fase final do processo de transição depois de sofrer uma entorse no tornozelo direito. O jogador, que fez um trabalho à parte nesta quarta-feira, ainda será reavaliado durante a semana para saber se terá condições de ficar à disposição de Eduardo Baptista.

Certeza apenas nas voltas dos laterais Cláudio Winck e Sander - ambos cumpriram suspensão e retomam à titularidade. No jogo passado, Ernando e Gabriel tiveram de ser improvisados nas laterais de campo. Eduardo, por outro lado, não poderá contar, diante do Paraná, com o volante Deivid, suspenso.

Veja também

Hélio elogia força do lado direito em vitória
Futebol

Hélio elogia força do lado direito em vitória

Náutico goleia Oeste por 4x1, nos Aflitos, e se distancia do Z4
Futebol

Náutico goleia Oeste por 4x1, nos Aflitos, e se distancia do Z4